Future of Money
Acompanhe:

Comitê do Senado dos EUA pode intimar ex-CEO da FTX para prestar depoimento

Senador do partido do presidente Joe Biden enviou uma carta convidando Sam Bankman-Fried a falar sobre a falência da corretora

Dois comitês do Congresso dos EUA estão investigando a FTX e o grau de participação de Sam Bankman-Fried no caso (FTX/Reprodução/Reprodução)

Dois comitês do Congresso dos EUA estão investigando a FTX e o grau de participação de Sam Bankman-Fried no caso (FTX/Reprodução/Reprodução)

J
João Pedro Malar

8 de dezembro de 2022, 11h51

O líder do governo no Comitê de Assuntos Financeiros do Senado dos Estados Unidos enviou uma carta na quarta-feira, 7, para o ex-CEO e fundador da FTX, Sam Bankman-Fried, com um aviso de que ele poderá ser intimado a prestar depoimento.

O comitê foi um dos órgãos do legislativo americano que abriram uma investigação sobre a falência da FTX, a segunda maior corretora de criptoativos do mundo, em novembro de 2022.

A princípio, Bankman-Fried foi apenas convidado a testemunhar em uma audiência sobre o caso intitulada "Cripto Crash: por que a bolha FTX estourou e os danos aos consumidores". O depoimento ocorreria presencialmente nos EUA na próxima quarta-feira, 14.

  • Cansou de tentar falar com alguém da sua Exchange? Conheça a Mynt, a única no Brasil com atendimento 24 horas e todos os dias, feito por pessoas reais. Abra agora sua conta.

"Como fundador e CEO da FTX na época de seu colapso e o fundador, principal proprietário e ex-CEO da Alameda Research, você deve responder pela falha de ambas as entidades que foi causada, pelo menos em parte, pelo claro uso indevido de fundos de clientes, eliminado bilhões de dólares devidos a mais de 1 milhão de credores", afirma a carta.

O texto foi assinado pelo senador democrata Sherrod Brown. Segundo ele, ainda existem "uma série de questões sem resposta" sobre como os fundos de clientes foram usados pela FTX, como os saques foram bloqueados e como Bankman-Fried "orquestrou uma forma de encobrir" o caso.

O senador observou ainda que, "tradicionalmente", os convidados a comparecer a audiências do comitê dos EUA aparecem de forma voluntária. Entretanto, caso o ex-CEO não dê uma resposta até esta quinta-feira, 8, Brown e o líder da oposição no órgão, o republicano Pat Toomey, concordaram em intimá-lo.

Bankman-Fried atualmente reside nas Bahamas, onde fica a sede da FTX. Brown informou o CEO que ele precisará enviar todo o seu depoimento por escrito para o comitê até a terça-feira, 13.

O Comitê de Assuntos Financeiros da Câmara dos EUA também está investigando a falência da FTX e marcou uma audiência sobre o caso para o dia 13. A presidente do órgão, a deputada democrata Maxine Waters, também convidou Sam Bankman-Fried a comparecer.

Entretanto, o ex-CEO disse no Twitter que só compareceria à audiência quando "terminar de aprender e revisar o que aconteceu". "Não tenho certeza se isso acontecerá até o dia 13. Mas quando isso acontecer, eu vou testemunhar", destacou. Em resposta, Waters disse que uma intimação "definitivamente está sendo considerada".

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok