Astro do futebol, Hulk se une a coleção de NFTs para preservar a Amazônia e Mata Atlântica

O astro da Seleção Brasileira é mais um atleta de peso a entrar para o universo da tecnologia blockchain, com um propósito importante: a preservação ambiental
Hulk é atacante na Seleção Brasileira (REUTERS/Jorge Silva/Reprodução)
Hulk é atacante na Seleção Brasileira (REUTERS/Jorge Silva/Reprodução)
M
Mariana Maria Silva

Publicado em 27/07/2022 às 10:30.

Última atualização em 27/07/2022 às 10:49.

O mundo dos NFTs agora conta com mais um ídolo do futebol brasileiro. O jogador Hulk é o novo embaixador da “Collection Hulk”, coleção estreante da Amazon League Club que pretende utilizar a tecnologia blockchain para preservar áreas ambientais do Brasil.

A empresa surgiu com o intuito de atuar na preservação de terras privadas a partir da comercialização de tokens não fungíveis. Para cada NFT vendido, uma área de 10 m² será preservada em regiões como a Amazônia e Pipa, no Rio Grande do Norte.

Chamada “Collection Hulk” em homenagem ao jogador, a coleção será a primeira de uma série em que estrelam personalidades brasileiras compondo uma “liga de super-heróis”. De acordo com a Amazon League Club, serão 3.377 NFTs no total, comercializados pelo preço inicial de US$ 100 na plataforma OpenSea, a maior em volume de negociação da atualidade.

“A coleção de cards colecionáveis de heróis busca criar uma utilidade sustentável e de preservação para tokens não-fungíveis. Além de representarem um investimento no mercado cripto, os NFTs podem ajudar a preservar nossa maior riqueza, os biomas”, afirmou Clynson Oliveira, CEO da Amazon League Club.

Inicialmente, a Collection Hulk pretende preserver 1 hectare de terra, arrecadando aproximadamente US$ 1 milhão com a primeira série da “liga de heróis”. Existem ainda 77 NFTs considerados raros, que dão acesso VIP ao ecossistema do projeto, com imagens feitas pelo fotógrafo paraibano Toddy Holland.

(Mynt/Divulgação)

“Como participante desta liga de heróis o meu papel é inspirar outras pessoas a se envolverem com as causas que acreditam, a exercitarem seu lado heróico o nas pequenas coisas, a darem valor a estes símbolos naturais”, afirmou Hulk, em entrevista exclusiva à EXAME.

“Queremos mostrar a proprietários de terra que conservar gera lucro, e também queremos envolver marcas e empresas que querem ser assim, seguir na mentalidade da economia criativa voltada para a conservação da natureza”, acrescentou o jogador.

Para Hulk, que admitiu não conhecer muito sobre a tecnologia blockchain e NFTs, a maior vantagem do projeto é a forma como as árvores podem ganhar valor “em pé”, ou seja, não precisam ser derrubadas para fazer parte de um negócio. Tudo isso de forma desburocratizada e descomplicada, adiciona o jogador. “A utilidade do NFT é o que importa, ou seja, as entregas feitas para quem compra”, disse.

O ídolo da Seleção Brasileira não é o único jogador a se envolver com a tecnologia, seja investindo ou participando de projetos. Desde o último ano, o mercado de NFTs conquistou uma série de grandes empresas, celebridades e atletas, tanto do futebol como outros esportes. Neymar é um deles, e teria servido como inspiração para Hulk.

“Conversei com alguns amigos que já investem neste universo, e que tem NFT, e entendi que é uma tendência irreversível. E ainda tem o Neymar envolvido em projetos, o Cristiano Ronaldo divulgando cripto”, contou.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok