Cidade do Rio de Janeiro será reproduzida no metaverso e terá quadra de samba da Mangueira

Turistas e foliões poderão visitar versão cartograficamente espelhada da cidade maravilhosa no meta-verso através da tecnologia blockchain
Versão digital do Rio estará disponível com 38 bairros a partir de 26 de julho (Luiz Souza/Nur/Getty Images)
Versão digital do Rio estará disponível com 38 bairros a partir de 26 de julho (Luiz Souza/Nur/Getty Images)
M
Mariana Maria SilvaPublicado em 21/07/2022 às 17:35.

Os amantes de um dos destinos turísticos mais procurados da América do Sul agora terão uma nova opção para visitar a capital do Rio de Janeiro. Nesta quinta-feira, 21, a Upland anuncia a chegada do Rio em sua plataforma, além de uma parceria com a Estação Primeira de Mangueira para o lançamento da primeira quadra de samba do metaverso.

Além das cidades fictícias que já movimentam milhões de dólares e conquistam grandes marcas e celebri-dades como Snoop Dogg, Paris Hilton, Dolce & Gabbana e Adidas, o universo virtual também conta com uma reprodução autêntica de destinos muito conhecidos pelos internautas. Trata-se do Upland, um me-taverso baseado em blockchain que reproduz a cartografia do mundo real.

A partir do dia 26 de julho, a cidade maravilhosa chegará ao metaverso, permitindo que seus usuários possuam terrenos virtuais, construam imóveis e participem de eventos na plataforma, que criará uma versão digital do Rio.

(Mynt/Divulgação)

De acordo com o co-CEO do Upland, a plataforma visa disseminar o empreendedorismo virtual a partir da reprodução de cidades no metaverso. “O lema do Upland é ‘reconstruir o mundo’, e sua proposta de valor central é muito pautada na Web3: empoderar o empreendedorismo no metaverso. A visão é criar milhares, ou milhões de microempreendedores que poderão obter parte de sua receita proveniente do Upland, além de abrigar marcas e negócios tradicionais que passarão a ter novas formas de inovar dentro dessa intersecção entre o real e o digital”, afirmou Dirk Lueth, co-CEO do Upland. O termo “Web3” é utilizado para se referir ao que é considerado a nova fase da internet, que engloba a tecnologia blockchain e ativos virtuais.

Para transmitir verdadeiramente a cultura do Rio de Janeiro, o samba não poderia faltar. Por isso, a Esta-ção Primeira de Mangueira será a primeira escola de samba brasileira a se aventurar no metaverso, esta-belecendo sua quadra na plataforma. Os foliões poderão visitá-la, colecionar NFTs inspirados na história da Mangueira e aprender o samba enredo da escola para o próximo carnaval, além de negociar seus ati-vos digitais com outros usuários.

O vice-presidente da Estação Primeira de Mangueira, Moacyr Barreto, afirmou em comunicado que a ação visa expandir o legado da escola e a cultura que vem da comunidade. “Quanto mais pessoas tiverem acesso a beleza da Mangueira, melhor. Essa parceria com o Upland permitirá o acesso a um grande púbico internacional, que poderá visitar nossa escola e torcer pela Mangueira no próximo carnaval”.

A plataforma de metaverso ainda revelou que todos os bairros do Rio de Janeiro serão reproduzidos vir-tualmente. 38 deles estarão presentes já no lançamento em 26 de julho, e os bairros remanescentes se-rão incluídos em 1º de setembro. Outras novidades, como a tradução completa da plataforma para o Por-tuguês Brasileiro foram mencionadas por Ney Netto, diretor geral do Upland.

“O Brasil é um dos países mais engajados no Upland, e a comunidade cresce em velocidade exponencial. A tradução ao português vai facilitar a experiência do usuário e abrir ainda mais possibilidades para artis-tas, microempreendedores e criadores em geral, para experimentar os benefícios da Web3”, afirmou.

Inspirado no jogo Monopoly, o Upland já vendeu mais de 3 milhões de NFTs, tokens que representam os mais variados tipos de itens no metaverso. Atualmente, 280 mil pessoas já possuem seu próprio terreno na plataforma, que já chegou a vender 100 mil NFTs em um único dia.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok