Future of Money

Brasileiros investem R$ 20 milhões em fundos de criptomoedas em semana de recuo global

Criptomoedas têm enfrentado cenário macroeconômico adverso, prejudicando investimentos em diversos países

Criptomoedas enfrentam cenário macroeconômico adverso (Reprodução/Reprodução)

Criptomoedas enfrentam cenário macroeconômico adverso (Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 29 de abril de 2024 às 14h02.

O Brasil registrou US$ 3,9 milhões (cerca de R$ 20 milhões, na cotação atual) em aportes líquidos em produtos de investimento em criptomoedas no acumulado semanal até a última sexta-feira, 26. No mesmo período, o segmento registrou um recuo líquido global de US$ 435 milhões, segundo relatório da gestora CoinShares.

De acordo com os dados compilados pela gestora de criptomoedas, além do Brasil, a Suíça e a Austrália também apresentaram aportes líquidos na última semana, com volumes de US$ 4,90 milhões e US$ 500 mil, respectivamente.

No lado negativo, os EUA responderam por US$ 388 milhões em saídas líquidas, o Canadá teve recuo de US$ 32,1 milhões, a Alemanha encolheu os aportes em US$ 15,8 milhões, a Suécia registrou retração de US$ 8,1 milhões e outros países somaram US$ 500 mil em saídas, enquanto a França se manteve estável.

O levantamento mostrou que o volume de negociações semanais foi de US$ 11,8 bilhões, montante 34,5% inferior ao do período anterior, que foi de US$ 18 bilhões. Na última semana, os fundos de investimento em bitcoin perderam US$ 423 milhões, seguidos pelos de ether, que recuaram em US$ 38,4 milhões no período.

No campo positivo, os fundos multiativos registraram US$ 6,9 milhões em aportes líquidos, enquanto os fundos de Solana atingiram US$ 4,1 milhões em aporte líquidos semanais, os de Litecoin acumularam US$ 3,1 milhões. Outras criptomoedas somaram um total de US$ 9 milhões em aportes.

A maior parte das saídas na última semana ocorreram nos fundos da gestora Grayscale, com um volume semanal de US$ 440 milhões perdidos e recuo de US$ 2,37 bilhões no acumulado mensal. Já a iShares, ligada à gestora BlackRock, teve um saldo positivo de US$ 58 milhões na última semana, com US$ 1,52 bilhão no acumulado de abril.

Em relação ao acumulado de ativos sob gestão (AuM, na sigla em inglês), o volume global recuou a US$ 87,98 bilhões, com os Estados Unidos respondendo por US$ 69,33 bilhões, seguindo por Canadá, Suíça, Alemanha e Suécia, respectivamente com aportes de US$ 4,66 bilhões, US$ 4,57 bilhões, US$ 4 bilhões e US$ 3,2 bilhões.

Nesse caso, o Brasil aparece na sexta colocação global, com US$ 879 milhões em investimentos, cerca de R$ 4,5 bilhões. Na semana anterior, o país investiu R$ 28,7 milhões e também ignorou o recuo semanal sobre investimentos em produtos de criptomoedas.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativosFundos de investimento

Mais de Future of Money

SEC autoriza lançamento de primeiros ETFs de Ethereum nos EUA

Investidores do bitcoin ainda não precificaram possível vitória de Trump, diz gestora

Bitcoin bate máxima histórica de preço em relação ao real, mesmo sem recorde em dólar

Bolsa de Chicago divulga data de estreia de ETFs de Ethereum nos EUA

Mais na Exame