Future of Money

Brasil investe R$ 3,7 milhões em semana de saque massivo em fundos de criptomoedas

Saídas líquidas totalizaram US$ 600 milhões na esteira de incerteza gerada com a reunuião do Federal Reserve para a política monetária dos EUA

 (SOPA Images/Getty Images)

(SOPA Images/Getty Images)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 18 de junho de 2024 às 09h36.

Última atualização em 18 de junho de 2024 às 12h12.

Tudo sobreCriptoativos
Saiba mais

Os investidores brasileiros depositaram US$ 700 mil, cerca de R$ 3,7 milhões, em produtos de investimento negociados em bolsa (ETPs) baseados em criptomoedas na semana encerrada na última sexta-feira, 14, período marcado por US$ 600 milhões em saídas líquidas globais, maior volume desde 22 de março segundo dados da CoinShares.

O fluxo negativo coincidiu com o avanço do FUD (medo, incerteza e dúvida na sigla em inglês) que tomou conta do mercado na semana passada, antes da reunião do comitê federal de mercado (FOMC) do Federal Reserve, que decidiu pela manutenção da taxa básica anual entre 5,25% e 5,50% nos EUA.

De acordo com o relatório da gestora, além do Brasil, Alemanha e Austrália mantiveram saldo positivo no período, em respectivos aportes líquidos de US$ 17,4 milhões e US$ 1,7 milhão no acumulado semanal. Em direção contrária, EUA, Suíça, Suécia, Canadá e Hong Kong sacaram respectivamente US$ 565 milhões, US$ 23,7 milhões, US$ 14,9 milhões e US$ 1,3 milhão.

O volume de negociação semanal foi de US$ 11 bilhões ante US$ 12,8 bilhões do período anterior e US$ 22 bilhões da média deste ano. Já o total de ativos sob gestão (AuM) recuou US$ 100 milhões, para US$ 94,19 bilhões. Nesse caso, o Brasil manteve a sexta posição global com US$ 930 milhões em aportes enquanto EUA manteve a liderança com US$ 73,81 bilhões, seguido por Suíça, Canadá e Alemanha, com respectivos AuM de US$ 4,8 bilhões, US$ 4,79 bilhões e US$ 4,21 bilhões.

Por criptoativo, o bitcoin respondeu por US$ 621 milhões das saídas líquidas semanais, seguido por Solana e cestas multiativos, em respectivos volumes de US$ 1,1 milhão e US$ 200 mil. Em direção contrária, o ether capitaneou os depósitos com US$ 13,1 milhões, seguido pelo XRP com US$ 1,1 milhão, Litecoin e Chainlink , ambos com US$ 800 mil em entradas líquidas no período.

Por produtos/gestoras, o levantamento mostrou que o iShares ETFs, da gestora BlackRock, representou o único fundo cripto com saldo semanal positivo, de US$ 42 milhões. Na contramão, Grayscale ARK 21 Shares e Fidelity ETFs lideraram os maiores volumes em saídas líquidas, em respectivos volumes de US$ 273 milhões, US$ 150 milhões e US$ 146 milhões.

Na semana anterior, os investidores nacionais aportaram R$ 50 milhões em fundos de criptomoedas na primeira semana de junho.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

ETFs de Ethereum estreiam nas bolsas dos EUA, com mercado de olho em investimentos

Investidor de criptomoeda meme de Biden perde US$ 8 milhões, mas "temporada de memecoins" persiste

Brasil recua R$ 9,5 milhões em investimentos de fundos de criptomoedas

SEC autoriza lançamento de primeiros ETFs de Ethereum nos EUA

Mais na Exame