Future of Money

Bolsa de Nova York avalia negociação 24 horas por dia após mudanças trazidas por cripto

Presidente da NYSE falou sobre avanços no mercado de criptomoedas e não descartou lançamento de opção de investimento em criptoativos

Bolsa de Nova York avalia mudar sistema de negociação (Mario Tama/Getty Images)

Bolsa de Nova York avalia mudar sistema de negociação (Mario Tama/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 31 de maio de 2024 às 17h28.

Última atualização em 31 de maio de 2024 às 18h00.

Lynn Martin, atual presidente da New York Stock Exchange (NYSE), destacou nesta semana que a empresa segue avaliando a possibilidade de expandir a negociação de investidores na bolsa de Nova York para um período de 24 horas, mudando a atual lógica de funcionamento da bolsa.

Martin falou sobre o tema durante sua participação no Consensus 2024, evento focado no mercado cripto. Segundo a executiva, a possível mudança reflete uma demanda que surgiu entre os investidores após o surgimento e expansão do mercado de criptomoedas, que já funciona na lógica "24/7": 24 horas de negociação nos sete dias da semana.

A executiva explicou que a NYSE está estudando a tecnologia cripto para entender como ela pode ser usada para melhorar o atual sistema de negociação de ativos, incluindo áreas como o registro de liquidações e títulos.

A empresa abriu uma consulta com agentes do mercado em abril deste ano e, segundo Martin, "há várias conversas acontecendo. Estamos muito satisfeitos com as interações". Um dos exemplos citados por Martin é a de aplicação da tecnologia blockchain para reduzir o tempo de liquidação de operações, que ainda leva um dia.

  • Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas e com curadoria dos melhores criptoativos para você investir.  

"A tecnologia por trás das criptomoedas, especificamente a tecnologia blockchain, é ótima. E, é claro, é algo que a indústria vai continuar observando para avaliar como ela pode ser utilizada para termos uma liquidação mais eficiente e transparente", destacou.

No evento, Martin também confirmou que a NYSE vai lançar um produto de investimento em preços futuros do bitcoin e não descartou uma oferta de negociação no mercado à vista para investidores. Para isso, porém, ela disse que será necessário que os Estados Unidos tenham uma "orientação regulatória clara" para o setor.

“O fato de termos visto cerca de US$ 58 bilhões chegando aos ETFs de bitcoin foi um forte sinal de que o mercado está em busca de regulamentação nas estruturas tradicionais. Então, esperançosamente, a SEC vai ver esses fluxos e pensar 'uma clareza regulatória faz muito sentido', considerando que os ETFs têm sido um tremendo sucesso", opinou Martin.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:NYSE (New York Stock Exchange)CriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Hiperautomação, blockchain e Web3: o futuro da transformação digital

Independência financeira: empresas e corretoras cripto estão preparadas para esta demanda?

Drex: quase metade dos brasileiros não está convencida de adotar o real digital, revela pesquisa

Segurança, nuvem e IA generativa de mãos dadas no mercado financeiro

Mais na Exame