Future of Money

Blockchain na educação: os impactos positivos da tecnologia na indústria educacional

eTecnologia blockchain pode trazer benefícios para o setor educacional, que já precisou se digitalizar depois da pandemia

 (Reprodução/Reprodução)

(Reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 30 de julho de 2023 às 11h00.

O setor educacional se adaptou à digitalização rapidamente durante a pandemia. A tecnologia blockchain tem o potencial de revolucionar este setor, mas seu uso para essa finalidade ainda está em sua infância, com apenas um punhado de instituições adotando a tecnologia.

Atualmente, o blockchain é utilizado nesta área principalmente para armazenar e compartilhar registros e credenciais acadêmicas. No entanto, os pesquisadores acreditam que a tecnologia pode revolucionar a educação, como por exemplo aumentando as oportunidades de aprendizagem ao longo do ciclo acadêmico, criando maior eficiência para os educadores por meio de contratos inteligentes e oferecendo aos alunos a propriedade de seus registros acadêmicos, entre outros benefícios.

Embora as possibilidades sejam promissoras, questões como segurança de dados, escalabilidade e custo apresentam desafios para a ampla adoção do blockchain no setor educacional.

Verificação de diplomas, certificados e histórico escolar

Um uso generalizado de blockchain na educação é a manutenção de registros. O número de registros de alunos é virtualmente infinito e a verificação de credenciais acadêmicas pode ser demorada, com muita documentação em papel.

A tecnologia pode eliminar grande parte da sobrecarga associada a esse processo e agilizar os procedimentos de verificação de diplomas, certificados, medalhas digitais e estágios, economizando tempo de educadores e administradores quando se trata de coisas como transferências entre escolas ou estados.

Usando blockchain, uma instituição que aceita um aluno transferido pode verificar seu histórico e os cursos que ele fez com apenas alguns cliques. O mesmo conceito se aplica ao compartilhamento de registros com um empregador.

Um diploma digital pode ser altamente detalhado, contendo informações sobre frequência, cursos realizados e até resultados de exames ou trabalhos específicos. Aqueles com acesso ao histórico escolar do aluno, outras escolas ou potenciais empregadores, por exemplo, podem ver como eles se saíram em determinadas avaliações. Essa tecnologia tem valor não apenas para o ensino superior, também pode ser útil no ensino primário e secundário.

Blockchain também atrai educadores, porque sua própria natureza o torna resistente a fraudes. As informações são registradas e armazenadas sequencialmente e recebem um registro de data e hora exato quando são adicionadas à blockchain. Informações anteriores inseridas, como por exemplo um certificado educacional, não podem ser alteradas, apenas corrigidas com a adição de um novo bloco. Isso dificulta a adulteração ou a falsificação de um registro acadêmico.

Nos últimos anos, os diplomas digitais se tornaram os principais exemplos de como o blockchain pode ser usado na educação. A Universidade de Maryville tornou-se uma das primeiras instituições a implementar transcrições e diplomas de blockchain, capacitando alunos e ex-alunos a possuir suas credenciais acadêmicas. Os alunos agora podem gerenciar suas credenciais digitais por meio do aplicativo para smartphone.

Usando a tecnologia blockchain, o aplicativo fornece um diploma verificável e inviolável que pode ser facilmente compartilhado com potenciais empregadores e outras escolas. No Brasil, a Inkluziva.org é pioneira na tecnologia, contando com um ecossistema de soluções em blockchain para educação.

Benefícios para estudantes

Armazenar diplomas utilizando blockchain permite que os alunos possuam e gerenciem suas realizações acadêmicas, proporcionando-lhes a capacidade de compartilhá-los quando e onde quiserem. Historicamente, as universidades possuem e controlam os registros dos alunos, fazendo com que os alunos dependam das instituições para acessar e compartilhar sua história e realizações acadêmicas.

Este modelo tem falhas óbvias. Os registros físicos podem ser perdidos ou destruídos, os alunos podem ser obrigados a pagar taxas para acessá-los e os graduados de instituições extintas podem ter dificuldades para encontrar uma autoridade para verificar seu desempenho acadêmico.

Benefícios para instituições

O uso de blockchain para emitir diplomas agiliza o processo de verificação para instituições de ensino superior, economizando tempo e dinheiro. Um estudo recente da Universidade de Roma revelou que o processo de verificação de diplomas custa à universidade cerca de 19 mil euros, anualmente, o que corresponde a cerca de 36 semanas de trabalho.

Por serem virtualmente à prova de adulteração, os diplomas emitidos por blockchain também facilitam muito a verificação do histórico acadêmico de um aluno para as escolas de pós-graduação.

Benefícios para empregadores

O uso de blockchain para diplomas digitais também facilita o processo de contratação para os empregadores. Em vez de pedir à instituição emissora para certificar uma cópia em papel do diploma de um possível contratado, os empregadores precisam apenas de um link para uma versão digital.

Devido à segurança adicional que acompanha o armazenamento de registros em um blockchain, é mais difícil para os candidatos falsificarem suas credenciais acadêmicas, garantindo aos empregadores que os novos contratados tenham o conhecimento e as habilidades necessárias para ter sucesso no local de trabalho.

Incentivo à educação

Em breve, os professores poderão motivar os alunos, recompensando-os com criptomoedas em créditos educacionais se tiverem um bom desempenho ou concluírem um curso específico. As instituições acadêmicas poderão incentivar os alunos a pagar suas dívidas dentro do prazo ou dar descontos de acordo com o desempenho acadêmico. Além disso, o componente de gamificação da metodologia de ensino da tokenização pode mudar o processo de ensino-aprendizagem para sempre.

Acesso universal e menor custo

A tecnologia blockchain pode oferecer acesso universal a recursos educacionais abertos, como livros, podcasts e filmes de domínio público, e são gratuitos para uso e redistribuição, além de apoiar o aprendizado ao longo da vida. blockchain permite o compartilhamento acessível e seguro desses recursos em uma rede pública.

Além disso, alunos de áreas remotas podem fazer cursos e exames digitalmente, e os educadores podem avaliá-los e registrar sua trilha de aprendizagem em blockchain.

No setor educacional, as possibilidades listadas acima podem ser apenas a ponta do iceberg sobre como o blockchain afetará o sistema educacional no futuro. A tecnologia tem a capacidade e um imenso potencial inexplorado para mudar o ambiente educacional, criando canais novos e mais acessíveis para o aprendizado e alterando o relacionamento atual entre institutos acadêmicos e alunos. As próximas gerações se beneficiarão imensamente da utilização do blockchain no setor.

*Taynaah Reis é CEO da Inkluziva, fintech que usa blockchain e inteligência artificial para gerar impacto social por meio de ações financeiras, de educação e saúde. Taynaah dedicou todo seu campo de estudo na utilização de diferentes plataformas tecnológicas em prol de corrigir desigualdades historicamente impostas pelo sistema bancário tradicional. Cursou economia na Universidade de Brasília e, em seguida, formou-se em Inteligência Artificial no Instituto de Tecnologia de Massachusetts; Cibersegurança e Inovação Disruptiva pela Harvard Business School e em Governança Ambiental pelo Instituto de Pós-Graduação em Estudos Internacionais e de Desenvolvimento.

Comece seu portfólio de criptomoedas. A Mynt é uma empresa BTG Pactual para você comprar e vender crypto com segurança e atendimento 24 horas. Abra agora sua conta e desbloqueie seu mundo crypto.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Acompanhe tudo sobre:BlockchainEducação

Mais de Future of Money

União Europeia vai apoiar projeto que usa blockchain para criar soluções de sustentabilidade

ETFs de Ethereum podem atrair US$ 10 bilhões e levar cripto à máxima histórica, diz analista

Show com Lauryn Hill e Mano Brown no Allianz Parque lança NFTs comemorativos

Governo da Alemanha conclui vendas de bitcoin e soma R$ 15 bilhões arrecadados

Mais na Exame