Fabricante da AK-47 e gigantes do petróleo anunciam soluções em blockchain

Referências na produção de petróleo, gás e de armas vislumbram na tecnologia blockchain novas possibilidades para gerenciar seus modelos de negócio com mais eficiência

Seguindo a tendência de várias empresas do setor, como Chevron e Repsol, a GuildOne, uma das maiores empresas de tecnologia voltada para produção de petróleo e gás do mundo, anunciou na quinta-feira, 3, que se juntou à Blockchain for Energy para desenvolver uma plataforma de empreendimento conjunto baseada em blockchain.

De acordo com as informações divulgadas, o projeto utilizará um protocolo de blockchain corporativo, o Corda. Através da rede, as empresas buscam promover um aumento do uso da tecnologia na indústria de energia, possibilitando uma redução nos custos de desenvolvimento de novas soluções, além de escalar com mais facilidade as soluções já existentes. Aliado ao uso da rede Corda, o projeto também utilizará a solução de contratos inteligentes que foi desenvolvida pela GuildOne, o Contracks, buscando trazer ainda mais dinamicidade e segurança para a plataforma.

“A Blockchain for Energy será uma parte importante deste projeto, e nossa colaboração com a GuildOne está ajudando esta tecnologia a evoluir para substituir muitos processos manuais desatualizados que limitam o crescimento e a lucratividade de nossa indústria”, disse Rebecca Hoffmann, CEO da Blockchain for Energy.

Além das gigantes do petróleo e gás, a Kalashnikov, uma das maiores fabricantes de armas da Rússia, responsável pela produção do fuzil AK-47, também expressou o seu desejo de mudar a forma como realiza seus acordos e negócios, utilizando os benefícios das transações realizadas em redes blockchain.

Proprietário da Kalashnikov e ex-vice-ministro dos transportes da Rússia, Alan Lushnikov, explicitou a sua intenção de mudar os negócios da fabricante de armas para acordos que utilizem moedas digitais. Para Lushnikov, as moedas digitais oferecem uma plataforma de transações mais completa do que a SWIFT (rede de transferências interbancárias internacional), sem o controle de bancos e outras instituições financeiras tradicionais.

“O que esperamos que o sistema bancário faça é mudar para um sistema não bancário de liquidação de transações. As moedas digitais são abordadas o tempo todo. Nós precisamos muito disso”, disse Alan Lushnikov durante o Fórum Econômico Internacional.

O uso de soluções em blockchain para negócios têm crescido de forma substancial ao longo dos últimos anos, fazendo com que grandes empresas começassem a buscar especialistas no setor para desenvolver e implementar novos projetos, principalmente, no setor de pagamentos eletrônicos. No fim de maio, a Apple, a maior empresa do mundo, divulgou que estava em busca de um especialista em criptoativos e blockchain para liderar seu programa de pagamentos alternativos, sugerindo que a gigante deve ingressar no setor.

No curso "Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o seu funcionamento. Confira.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também