Bitcoin ultrapassa US$ 24 mil e tem melhor semana desde junho em meio a recessão técnica nos EUA

Criptomoedas seguem firmes em movimento de alta impulsionado por notícias da economia norte-americana com aumento nos juros e redução do PIB
Movimento de alta do bitcoin se sustenta e eleva preço até US$ 24 mil (Reprodução/Unsplash)
Movimento de alta do bitcoin se sustenta e eleva preço até US$ 24 mil (Reprodução/Unsplash)
M
Mariana Maria SilvaPublicado em 29/07/2022 às 11:38.

Nesta sexta-feira, 29, o mercado de criptomoedas encerra uma das melhores semanas desde o início de 2022. Movimentando US$ 152 milhões nas últimas 24 horas, o setor segue reagindo bem às últimas notícias sobre a economia norte-americana.

O aumento de 0,75% na taxa de juros e a redução de 0,9% no PIB dos EUA, apesar de indicarem uma desaceleração na economia do país e riscos de uma possível recessão, impulsionaram a demanda por ativos digitais nos últimos dias.

A principal criptomoeda, o bitcoin, ultrapassa os US$ 24 mil, subindo 5,6% nas últimas 24 horas, de acordo com dados do CoinGecko. Enquanto isso o ether, a criptomoeda nativa da rede Ethereum, sobe 6,4% e é cotado a US$ 1.732.

(Mynt/Divulgação)

“O ether acumulou alta de aproximadamente 20% nos últimos três dias e está cada vez mais perto da sua mais importante atualização, a The Merge”, comentou Lucas Minchillo, analista da Titanium Asset Management.

De acordo com o especialista, a iminência da importante atualização para a rede blockchain seria um dos principais motivos por trás da alta significativa do ether.

“Nessa semana, a equipe de P&D da Ethereum divulgou a data de fusão da rede de testes Goerli/Prater, etapa que deve ser sucedida pela mesma atualização na rede principal, concluindo o The Merge, atualização que altera o método de consenso da rede de proof-of-work para proof-of-stake e que deve ocorrer na segunda quinzena de setembro”, pontuou.

No entanto, Vitalik Buterin, o criador da Ethereum, acredita que a criptomoeda pode subir ainda mais, mas somente após a atualização. “Eu não acho que a ‘The Merge’ será precificada até depois que ela realmente aconteça”, afirmou em uma recente entrevista ao canal Bankless durante o evento EthCC 2022 Experience.

Outras criptomoedas se destacam por suas altas, de acordo com dados do CoinGecko:
• Cardano: + 7,3%
• Solana: + 7,4%
• Polkadot: + 8,3%
• Polygon: + 9,1%
• Ethereum Classic: + 23,3%

A alta da Ethereum Classic virou assunto de discussão entre especialistas nos últimos dias. Isso porque sua rede é como se fosse uma “versão antiga” da Ethereum. Em 2016, após um ataque hacker ter roubado boa parte significativa da oferta disponível de ether, foi realizado uma uma atualização que dividiu o blockchain em Ethereum e Ethereum Classic. Assim, os hackers ficaram com a ETC, uma versão “antiga” da criptomoeda, enquanto investidores puderam optar pela migração para o que conhecemos atualmente como Ethereum.

Agora, a demanda por ETC parece ter aumentado também por conta da iminência da “The Merge”, que mudará o mecanismo de consenso da Ethereum para prova de participação (PoS) e abandonará a mineração de criptomoedas. De acordo com Lucas Minchillo, a migração de mineradores para a Ethereum Classic pode ser um dos principais fatores impulsionando a ETC.

“Essa teoria até o momento está se concretizando, comprovada por um aumento de aproximadamente 32% Na taxa de hash da rede em um período de 15 dias”, pontuou Minchillo.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok