Future of Money

Binance anuncia compra da FTX em meio a preocupações com situação da corretora

CEO da Binance citou "crise de liquidez significativa" na concorrente para justificar a compra, enquanto Sam Bankman-Fried confirmou operação

Os CEOs das corretoras Binance e FTX trocaram indiretas no Twitter (Twitter/Reprodução/Reprodução)

Os CEOs das corretoras Binance e FTX trocaram indiretas no Twitter (Twitter/Reprodução/Reprodução)

Chanpeng Zhao, CEO da maior corretora de criptomoedas do mundo, a Binance, anunciou nesta terça-feira, 8, a compra da concorrente FTX. A operação ocorre em meio a preocupações de investidores com a saúde financeira da exchange, considerada a segunda maior do mercado.

CZ, como o empresário é conhecido, revelou a aquisição em um post no Twitter, em que disse que "nesta tarde, a FTX pediu nossa ajuda. Há uma crise de liquidez significativa". Segundo Zhao, o objetivo com o acordo é "proteger os usuários" da exchange.

(Mynt/Divulgação)

Zhao explicou que o acordo envolveria uma aquisição integral para ajudar a empresa a cobrir uma crise de liquidez que começou no último final de semana. Segundo ele, nos próximos dias a Binance divulgará mais detalhes sobre a operação.

"Há muito o que cobrir e levará algum tempo. Esta é uma situação altamente dinâmica, e estamos avaliando a situação em tempo real. A Binance tem o poder de desistir do negócio a qualquer momento", destacou Zhao.

Também no Twitter, o CEO e fundador da FTX, Sam Bankman-Fried, disse que a empresa "fechou um ciclo" sendo adquirida pela sua primeira investidora, a Binance.

Ele destacou que os times das duas empresas "estão trabalhando para limpar o backlog de retiradas como está. Isso eliminará as crises de liquidez; todos os ativos serão cobertos 1:1".

"Esta é uma das principais razões pelas quais pedimos à Binance para entrar. Pode demorar um pouco para resolver etc. -- pedimos desculpas por isso", comentou o empresário.

Ele ressaltou que o objetivo da operação é "proteger os usuários" e agradeceu a Zhao e à Binance pela ajuda, associando o movimento a um "desenvolvimento centrado no usuário que beneficia toda a indústria".

"CZ fez e continuará fazendo um trabalho incrível de construir o ecossistema global de criptomoedas e criar um mundo econômico mais livre", opinou Fried.

O dono da FTX disse ainda que "a Binance mostrou repetidamente que está comprometida com uma economia global mais descentralizada enquanto trabalha para melhorar as relações da indústria com os reguladores. Estamos nas melhores mãos".

Segundo SBF, como o empresário é conhecido, a operação não envolverá a fusão das subsidiárias das duas corretoras, a Binance.US e a FTX.US, que continuarão funcionando de forma independente. Ele ressaltou que a subsidiária norte-americana da exchange não está com problemas para processar transações.

FTT, Binance e FTX

As preocupações dos investidores com a capacidade da FTX de cobrir retiradas de criptoativos, e com a saúde da empresa como um todo, começaram no domingo, depois que uma empresa também controlada por Bankman-Fried divulgou seu balança financeiro.

A Alameda Research revelou que possui um terço das suas reservas financeiras em FTT, o token nativo da FTX. A informação gerou desconfiança no mercado sobre a real situação financeira das duas empresas e da sustentabilidade do token.

Já na segunda-feira, 7, diversos agentes do mercado compartilharam reações negativas, gerando um movimento de venda do ativo que foi intensificado por comentários de Chanpeng Zhao.

Zhao anunciou que a Binance venderia todas as reservas de FTT que possui atualmente, avaliadas em US$ 2,1 bilhões e obtidas após a venda da sua participação na FTX. Segundo o empresário, o motivo seriam "recentes revelações que vieram à tona".

Após o anúncio, Bankman-Fried chegou a trocar indiretas com Zhao, afirmando no Twitter que "como sempre - é hora de construir. Faça amor (e blockchain), não faça guerra".

No dia seguinte, usuários começaram a reportar problemas no processamento de transações na FTX, em especial pedidos de retirada, o que gerou preocupações com a liquidez da exchange, piorando o sentimento do mercado e afetando em especial o token FTT.

Antes do anúncio de compra, o criptoativo já recuava mais de 20% nas últimas 24 horas. Por volta das 15h25, ele despencava 59,3%, de acordo com dados da plataforma CoinGecko. No mesmo horário, o BNB, token nativo da Binance, subia 0,8%.

Aproveite todas as possibilidades do mundo crypto. A Mynt ajuda você a explorar o melhor do mercado com segurança e diversidade de criptomoedas. Clique aqui para abrir sua conta.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok  

Acompanhe tudo sobre:CorretorasCriptoativosCriptomoedas

Mais de Future of Money

CEO da BlackRock reconhece erro sobre bitcoin e vê ativo como "ouro digital"

"Fator Trump" cria volatilidade, mas pode fazer bitcoin disparar, diz gestora

Fundos de criptomoedas atingem US$ 17 bilhões e batem novo recorde de investimentos

Tokens das seleções da Argentina e da Espanha caem mais de 20% mesmo com vitórias em torneios

Mais na Exame