BAYC faz 1 ano com valorização estrondosa, metaverso e apoio de famosos

A coleção de NFTs mais valiosa do mundo não optou por parar nisso e fez lançamentos que aumentam ainda mais o otimismo de especialistas e investidores após um ano de criação despretenciosa
Em um ano, os macacos da Bored Ape Yacht Club deixaram as imagens JPEG e vão habitar seu próprio metaverso (Bored Ape Yacht Club/Reprodução)
Em um ano, os macacos da Bored Ape Yacht Club deixaram as imagens JPEG e vão habitar seu próprio metaverso (Bored Ape Yacht Club/Reprodução)
Por Mariana Maria SilvaPublicado em 23/04/2022 11:00 | Última atualização em 22/04/2022 15:47Tempo de Leitura: 6 min de leitura

Atualmente, a Bored Ape Yacht Club é uma das maiores coleções de NFTs de todos os tempos. Responsável pela movimentação de quase US$ 2 bilhões, ela se tornou realmente um fenômeno mundial entre as celebridades e elevou os padrões do mercado de NFTs.

Tudo isso aconteceu a partir de uma ideia de quatro pessoas sob pseudônimos na internet: “Gordon Goner”, “Gargamel”, “No Sass” e “Emperor Tomato Ketchup”. Um day trader de criptomoedas, um escritor e editor, e dois programadores que não possuíam conhecimento na linguagem Solidity, utilizada para criar os contratos inteligentes necessários para os NFTs da rede Ethereum.

A criação despretensiosa do grupo de amigos foi oficialmente lançada em 23 de abril de 2021, e completa um ano neste sábado, 23. De lá para cá, muita coisa aconteceu para que os NFTs de macacos entediados explodissem em um sucesso sem muitos precedentes no mundo dos criptoativos.

Desde o início, a coleção de 10 mil NFTs de macacos cujas características são únicas e definidas de forma aleatória por um algoritmo programado promoveu benefícios exclusivos e os direitos de propriedade intelectual aos seus compradores, fator que tornou as imagens em formato JPEG registradas em blockchain muito mais interessantes aos olhos de possíveis investidores.

(Mynt/Divulgação)

Os donos de NFTs da Bored Ape Yacht Club podem criar qualquer tipo de arte que quiserem com seus Bored Apes, até mesmo filmes e bandas, e participam de um verdadeiro clube de benefícios exclusivos, com acesso a lançamentos e eventos que inspiraram uma série de outras coleções.

A distribuição dos direitos de propriedade intelectual para os donos dos NFTs foi o que mais chamou a atenção de Caio Vicentino, especialista em criptomoedas que possui os Mutant Apes #7918 e #2203, da coleção subjacente da Bored Ape Yacht Club onde os macacos possuem características mutantes que podem torná-los ainda mais raros.

“O que me chamou a atenção nessa coleção de NFTs foi que eles estão construindo uma marca descentralizada, onde a propriedade intelectual de cada arte é distribuída para o seu detentor”, disse ele.

Além disso, a coleção possui um painel interativo compartilhado chamado “The Bathroom”, para que todos os que possuem os NFTs possam modificar. O foco desta iniciativa, segundo Gordon Goner ao The New Yorker, são os novos bilionários do mundo das criptomoedas, ou seja, aqueles que investiram no bitcoin e em outras moedas em seu início e se beneficiaram com lucros impressionantes de forma inesperada.

“Agora eles estão apenas entediados. O que você faz agora que você é rico além de seus sonhos mais loucos? Você vai para um clube com um bando de macacos e ficar louco”, disse Goner, cuja identidade foi revelada pela Bloomberg este ano como sendo Wylie Aronow.

Vendidos inicialmente por 0,08 ETH cada, o valor equivale a US$ 240 na cotação atual da criptomoeda. Recentemente, a coleção bateu um novo recorde de preço mínimo, e cada NFT de macaco não sai por menos de US$ 380 mil, ou R$ 1,8 milhão.

Foram preços como este que diversas celebridades pagaram para ter um Bored Ape em sua coleção. Neymar, Madonna, Justin Bieber, Snoop Dogg, Jimmy Fallon e Paris Hilton são apenas alguns de uma longa lista de nomes de interessados no que a coleção de NFTs pode oferecer. Eles agora usam as imagens de macacos entediados como avatares em suas redes sociais, dando início ao que se tornou uma febre entre os usuários de redes sociais.

Embora ainda fique atrás de CryptoPunks no volume de vendas, a Bored Ape Yacht Club comprou sua concorrente por meio da Yuga Labs, empresa responsável pelos NFTs dos macacos entediados. A compra, além de estratégica, faz com que os NFTs de pixels de CryptoPunks passem a integrar um novo metaverso criado pela empresa, que apesar de focado nos macacos, contará com a integração com outras coleções famosas de NFTs.

No último mês, a empresa anunciou o lançamento de uma criptomoeda e metaverso próprios, como uma forma de expandir a coleção para além das imagens em formato JPEG. Chamado de “Otherside”, ou “O outro lado” em português, o lançamento foi o mais significativo e transforma o que era para ser apenas uma coleção de NFTs em todo um ecossistema, ou “planeta dos macacos”.

Prevista para acontecer ainda esta semana, a venda dos terrenos virtuais do Otherside já deixa os investidores animados, fazendo com que a ApeCoin disparasse 50% durante a semana. A ApeCoin é a criptomoeda oficial da Bored Ape Yacht Club, lançada em março. A maioria acredita que ela terá um papel essencialmente importante no metaverso dos macacos entediados, podendo ser utilizada para transações e até mesmo promover novos benefícios exclusivos.

Quantidades significativas da ApeCoin foram distribuídas de graça aos donos dos NFTs do ecossistema BAYC, e geraram lucros impressionantes aos usuários beneficiados. O próprio Neymar lucrou R$ 1,4 milhão com a iniciativa, e um outro usuário foi agraciado com mais de R$ 268 milhões, levando em consideração a alta de 700% do token no dia de seu lançamento.

Os novos lançamentos da Yuga Labs vieram para provar que a Bored Ape Yacht Club é muito mais que uma coleção de NFTs como qualquer outra e mostrou a que veio neste um ano de existência. É no que apostam especialistas, que demonstram otimismo quanto ao fenômeno do mundo dos criptoativos. Caio Vicentino acredita que poderá ter novas fontes de renda com seus NFTs no futuro, para além de sua valorização de preço. “Acredito que esse projeto tem um potencial muito grande de no futuro me distribuir royalties”, contou.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok