Bancos centrais precisam atender à demanda por meios de pagamentos digitais, diz Christine Lagarde

Presidente do Banco Central Europeu alertou que autarquias podem perder papel de “âncoras monetárias” sem inovação
Christine Lagarde é presidente do Banco Central Europeu (Alex Kraus/Getty Images)
Christine Lagarde é presidente do Banco Central Europeu (Alex Kraus/Getty Images)
J
João MalarPublicado em 27/09/2022 às 16:07.

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, alertou nesta terça-feira, 27, sobre a necessidade dos bancos centrais atenderem à demanda por meios de pagamento digitais.

“Existem novos meios mais inovadores para pagamentos, transações, e os meios de pagamento digitais estão com uma alta demanda. Há um desejo maior do que no passado, e é algo que está crescendo”, pontou Lagarde em um evento do Banco da França.

Citando uma pesquisa recente realizada pelo BCE, ela afirmou que há uma demanda por meios de pagamentos digitais seguros e sem riscos, além da redução do uso do dinheiro físico nas transações.

(Mynt/Divulgação)

Lagarde disse que os bancos centrais “operam como uma âncora monetária em relação aos bancos comerciais e ao dinheiro privado”, mas que esse papel pode ser perdido se as autarquias não estarem envolvidas com inovações.

Dentre essas inovações, ela destacou as moedas digitais de bancos centrais (CBDCs).

“Nós corremos o risco de perder o papel de âncora que exercemos há muitas décadas Temos exemplos de períodos em que a âncora dos bancos centrais não estava lá, e isso precipitou crise atrás de crise”, alertou a presidente do BCE.

Ela defendeu que os bancos centrais precisam “responder à demanda por meios de pagamentos digitais para mantermos o papel de âncora que temos exercido regularmente”.

Segundo Lagarde, mais de 100 bancos centrais estão explorando as características que as CBDCs deveriam ter. O BCE, relatou, está em uma fase de prototipação que pode ser encerrada daqui a um ano. [link: https://exame.com/future-of-money/90-dos-bancos-centrais-estao-pesquisando-a-utilidade-das-moedas-digitais-de-acordo-com-o-bis/%5D

Em sua fala, Lagarde citou as características que esses meios de pagamento digitais deveriam ter: serem convenientes, podendo ser usados como parte do dia a dia para pagamentos instantâneos, e “um sucesso”, com “100% de certeza que vai funcionar”.

Para a presidente do BCE, “existem armadilhas, claro. Se o euro digital é usado em excesso, pode reduzir os depósitos em bancos comerciais e afetar a intermediação de crédito na economia”.

Nesse sentido, ela afirma que haverá um esforço para garantir também que o euro digital não se torne um investimento atrativo, mas sim uma forma de pagamento.

Também no evento, o presidente do banco central dos Estados Unidos, Jerome Powell, falou sobre os criptoativos, e destacou que as stablecoins “precisam ser transparentes”.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok