Australian Open 2022 terá NFTs de pontos decisivos e eventos no metaverso

O torneio de tênis está entrando de cabeça no universo dos criptoativos e do blockchain em parceria com a Decentraland
O torneio divulgou uma prévia de como serão seus eventos virtuais (Australian Open/Divulgação)
O torneio divulgou uma prévia de como serão seus eventos virtuais (Australian Open/Divulgação)
Por CoindeskPublicado em 06/01/2022 16:26 | Última atualização em 06/01/2022 16:41Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O Australian Open está chegando no metaverso com uma série de anúncios relacionados à tecnologia blockchain feitos nesta quinta-feira, 6. Com isso, o Grand Slam de tênis se tornou o primeiro evento do tipo a fazer algo do gênero.

O famoso torneio está lançando uma coleção de 6.776 tokens não-fungíveis (NFTs) que correspondem a pequenas parcelas da superfície do terreno da quadra do torneio, junto com um evento virtual para a competição no metaverso Decentraland.

Cada jogada vencedora das 600 partidas do torneio corresponderá a um dos NFTs da coleção. Os proprietários receberão imagens do ponto, roupas e acessórios virtuais e material promocional do Australian Open, de acordo com um comunicado de imprensa.

Os dados necessários para que os NFTs correspondam às jogadas virão da mesma tecnologia utilizada para julgar os pontos dentro do jogo.

“A coisa provavelmente já tinha se tornado muito profunda àquela altura”, disse o líder do projeto, Ridley Plummer, ao descrever como eles projetaram cada parte da pelagem das bolas para serem exclusivas umas das outras. “Mas é para isso que estávamos ali”

Arte das bolas de tênis do Australian Open (Australian Open/Divulgação)

Se o ponto de vitória for em uma final (simples masculina e feminina, duplas feminina, masculina e mista), o proprietário do NFT receberá a bola física em uma caixa gravada e personalizada. A quadra de cada NFT será determinada após a venda da coleção, que ocorrerá em 13 de janeiro por 0,067 ETH (cerca de 350 dólares) cada.

Metaverso

A festa do evento ocorrerá durante todo o torneio no metaverso Decentraland. Ela começa em 17 de janeiro e incluirá desafios para os fãs competirem por prêmios virtuais.

Plummer contou que a configuração trará “uma vibração quente do verão australiano pela tela do computador” e não será o último evento virtual organizado pelo torneio.

Visão inovadora

Como a pandemia continua a frustrar muitos encontros pessoais, eventos virtuais como o Australian Open podem se tornar cada vez mais comuns. O proprietário do One Times Square recentemente deu uma festa de ano novo no Decentraland, com a presença de early-adopters do metaverso em todo o mundo.

“Sempre fomos conhecidos como um dos eventos mais inovadores e divertidos do calendário”, Plummer disse em uma entrevista. “É um festival de entretenimento tanto quanto um torneio de tênis, algumas pessoas passam oito ou nove horas no Australian Open e nem veem uma bola de tênis. Entrar no metaverso foi o próximo passo lógico nessa progressão”.

O Australian Open se juntou à Run It Wild, uma empresa de design para metaversos, para a construção do evento.

Versão da Arena Rod Laver no metaverso (Australian Open/Divulgação)

Texto traduzido por Mariana Maria Silva e republicado com autorização da Coindesk

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok