• AALR3 R$ 20,12 -0.25
  • AAPL34 R$ 68,33 1.44
  • ABCB4 R$ 16,64 0.73
  • ABEV3 R$ 14,11 0.50
  • AERI3 R$ 3,66 2.52
  • AESB3 R$ 10,75 -0.83
  • AGRO3 R$ 31,34 0.51
  • ALPA4 R$ 21,91 2.91
  • ALSO3 R$ 18,87 -0.68
  • ALUP11 R$ 26,76 -1.15
  • AMAR3 R$ 2,65 4.33
  • AMBP3 R$ 32,19 3.54
  • AMER3 R$ 22,11 1.01
  • AMZO34 R$ 3,40 4.17
  • ANIM3 R$ 5,60 2.38
  • ARZZ3 R$ 81,61 2.71
  • ASAI3 R$ 15,98 1.65
  • AZUL4 R$ 21,05 4.88
  • B3SA3 R$ 12,16 2.10
  • BBAS3 R$ 37,76 0.51
  • AALR3 R$ 20,12 -0.25
  • AAPL34 R$ 68,33 1.44
  • ABCB4 R$ 16,64 0.73
  • ABEV3 R$ 14,11 0.50
  • AERI3 R$ 3,66 2.52
  • AESB3 R$ 10,75 -0.83
  • AGRO3 R$ 31,34 0.51
  • ALPA4 R$ 21,91 2.91
  • ALSO3 R$ 18,87 -0.68
  • ALUP11 R$ 26,76 -1.15
  • AMAR3 R$ 2,65 4.33
  • AMBP3 R$ 32,19 3.54
  • AMER3 R$ 22,11 1.01
  • AMZO34 R$ 3,40 4.17
  • ANIM3 R$ 5,60 2.38
  • ARZZ3 R$ 81,61 2.71
  • ASAI3 R$ 15,98 1.65
  • AZUL4 R$ 21,05 4.88
  • B3SA3 R$ 12,16 2.10
  • BBAS3 R$ 37,76 0.51
Abra sua conta no BTG

Argentina proíbe ofertas ligadas aos criptoativos por bancos do país

Na mesma semana em que o maior banco argentino disponibilizou cripto para seus clientes, banco central local proíbe oferta de serviços ligados a ativos digitais no país
A Argentina é um dos casos mais emblemáticos em uso de criptoativos (Bloomberg/Erica Canepa)
A Argentina é um dos casos mais emblemáticos em uso de criptoativos (Bloomberg/Erica Canepa)
Por Gabriel MarquesPublicado em 06/05/2022 13:27 | Última atualização em 06/05/2022 13:27Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O Banco Central da República da Argentina (BCRA) anunciou a proibição da oferta de serviços com criptoativos pelos bancos do país. Segundo o comunicado da instituição, qualquer produto ou serviço relacionado a um ativo digital que não seja regulado está proibido.

Como ainda não existe regulamentação sobre ativos digitais na Argentina, na prática a decisão limita completamente os bancos do país a interagir com esse tipo de ativo.

A medida foi anunciada poucos dias depois do maior banco argentino anunciar que passaria a oferecer negociação de criptoativos para seus clientes. Na última segunda-feira, 2, o Banco Galicia, o maior do país em valor de mercado, anunciou que iria permitir a compra e venda de bitcoin, ether, USDC e XRP em sua plataforma. O banco ainda não se pronunciou oficialmente sobre a proibição.

De acordo com o BCRA, a medida tem como objetivo mitigar os riscos associados com as operações envolvendo ativos digitais. “As entidades financeiras devem se orientar em financiar o investimento, a produção, comercialização e consumo de bens e serviços requeridos tanto pela demanda interna, quanto pela exportação”, explica o texto. “Os atores envolvidos nas operações com esses ativos podem não se encontrar no país, o que poderia gerar apartamentos com a norma geral”, completa o comunicado.

(Mynt/Divulgação)

 

Segundo informações da imprensa local, os bancos argentinos não poderão mais oferecer serviços relacionados às criptomoedas para seus clientes já a partir desta sexta-feira, 6.

A Argentina é um dos casos mais emblemáticos em uso de criptoativos, que se tornou uma maneira eficiente para a população local se proteger da inflação que assola o peso argentino há pelo menos cinco anos.

Além disso, até alguns governantes argentinos decidiram investir no setor. Sorradino, uma cidade do país, anunciou no mês passado que iria começar a minerar criptomoedas como forma de arrecadar dinheiro para atualizar sua infraestrutura rodoviária. Segundo o prefeito Juan Pio Drovetta, uma das principais razões para isso é escapar da inflação.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok

Veja Também

Investir no sertanejo: como lucrar com royalties de Maiara e Maraisa
Future of Money
Há 19 horas • 3 min de leitura

Investir no sertanejo: como lucrar com royalties de Maiara e Maraisa

CEO de corretora pode doar US$ 1 bi para evitar retorno de Trump nos EUA
Future of Money
Há 21 horas • 3 min de leitura

CEO de corretora pode doar US$ 1 bi para evitar retorno de Trump nos EUA