Future of Money

Aproveitem a queda para comprar bitcoin, recomenda investidor milionário

Fundador de corretora de criptomoedas Arthur Hayes afirma que problemas na economia do Japão podem impulsionar criptomoeda

Bitcoin voltou a cair com piora de quadro macroeconômico (Reprodução/Reprodução)

Bitcoin voltou a cair com piora de quadro macroeconômico (Reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 24 de junho de 2024 às 16h31.

Última atualização em 24 de junho de 2024 às 16h43.

O bitcoin voltou a enfrentar dias difíceis no mercado, alternando entre estabilidade e quedas de preço, com destaque para esta segunda-feira, 24, em que o ativo opera na faixa dos US$ 60 mil. Entretanto, alguns investidores acreditam que agora é exatamente a hora de comprar a criptomoeda.

Um deles é Arthur Hayes, que possui uma fortuna de cerca de US$ 500 milhões e ficou famoso por fundar a corretora de criptomoedas BitMex. Hayers reforçou sua aposta no bitcoin em uma publicação em seu blog pessoal na última semana, alertando que o cenário deverá ficar favorável para o ativo.

O motivo, como aponta Hayes, estaria ligado a um quadro econômico negativo no Japão. Na visão do investidor, os grandes bancos japoneses se tornaram "vítimas" das políticas monetárias inspiradas nos Estados Unidos e agora enfrentam um cenário de possível quebra.

Hayes destaca que esses grandes bancos optaram historicamente por investir nos títulos do Tesouro dos Estados Unidos, que têm um retorno maior do que os títulos do Japão devido à taxa de juro japonesa, sempre próxima a zero para tentar estimular a economia.

Entretanto, a alta recente na taxa de juro dos Estados Unidos prejudicou grandes investidores desses títulos, incluindo os bancos japoneses, que agora estão com uma dívida crescente. Hayes comparou o caso à quebra de diversos bancos regionais nos Estados Unidos no início de 2023.

O investidor acredita que, assim como naquele período, as autoridades do Japão e dos Estados Unidos serão obrigadas a intervir no mercado com pacotes de estímulo para evitar uma falência em cadeia de bancos. E esse cenário tende a ser favorável para o bitcoin.

A tendência, diz Hayes, é que ocorra um aumento na oferta de dólares em circulação, desvalorizando a moeda americana. Com isso, o bitcoin tende a ser um dos principais ganhadores, podendo atrair investidores que buscam alternativas à moeda.

O quadro seria semelhante ao que ocorreu no início de 2023, quando a criptomoeda valorizou mesmo com a quebra dos bancos. Por isso, Hayes defende que o momento é de "comprar na queda" para se preparar para altas futuras.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Bancos gastam 25 vezes mais que fintechs com segurança digital, mas perdem 5 vezes mais em fraudes

Criptomoedas não são afetadas por apagão cibernético e usuários elogiam blockchain

Criptomoedas meme e de IA lideraram mercado cripto no 2º trimestre, mostra relatório

BCE realiza primeiro teste de tokenização de títulos privados com banco

Mais na Exame