Após Samsung, 3ª maior marca de tênis entra para o metaverso Decentraland

A Skechers garantiu um terreno em localização importante no metaverso para inovar na forma que se envolve com seus clientes
Espaço da Skechers vai ficar na "Fashion Street" (Decentraland/Divulgação)
Espaço da Skechers vai ficar na "Fashion Street" (Decentraland/Divulgação)
Por Mariana Maria SilvaPublicado em 11/03/2022 14:15 | Última atualização em 11/03/2022 14:23Tempo de Leitura: 2 min de leitura

As ruas de Decentraland estão cada vez mais cheias. Depois de grandes nomes como o banco JPMorgan e a sul-coreana Samsung, a Skechers também garantiu o seu terreno virtual no metaverso.

Localizado na “Fashion Street”, a terceira maior marca de tênis do mundo vai usar o espaço de 464 m2 para explorar maneiras criativas de se envolver com novos clientes e públicos, segundo o presidente Michael Greenberg, em um comunicado. "Nossa entrada no Decentraland é um investimento no futuro [da Skechers]", afirmou.

Atualmente, Decentraland é um dos principais metaversos descentralizados, ao lado de The Sandbox. Este tipo de universo virtual utiliza a tecnologia blockchain, aliada às criptomoedas e os NFTs, para funcionar. Os usuários são representados por seus próprios avatares em NFTs, que podem interagir, comprar terrenos e outros itens com criptomoedas, além de visitar lojas e ambientes interativos de marcas como a Skechers.

Destinada à grandes marcas do mundo da moda, a “Fashion Street” possui um dos lotes mais caros de Decentraland. O espaço agora ocupado pela Skechers foi alugado de uma subsidiária da Tokens.com, a Metaverse Group, que em novembro de 2021, pagou US$ 2,4 milhões por um terreno virtual de 116 sublotes e 566 m2 na região. Na época, a compra bateu recordes e foi considerada a mais cara já realizada na plataforma.

"Nossa colaboração com a Skechers marca uma evolução fundamental em nossa estratégia no metaverso. Esta parceria estabelece nossa subsidiária, a Metaverse Group, como um dos primeiros proprietários virtuais a alugar seus imóveis de forma bem-sucedida no metaverso", comentou Andrew Kiguel, CEO da Tokens.com.

Apesar de notícias como esta serem animadoras aos investidores, a MANA, criptomoeda nativa de Decentraland, segue em um movimento de queda bastante significativo. Com perdas de aproximadamente 30% no último mês, a moeda, que já chegou a custar US$ 5,85, é cotada no momento a US$ 2,33, segundo dados do CoinMarketCap.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok