Após maior alta da semana, bitcoin pode voltar a subir no curto prazo

Após pânico e pessimismo na segunda-feira, especialistas prevêem possível movimento de alta para a criptomoeda no curto prazo

O bitcoin parece ter encontrado seu caminho depois da alta de quase 10% nos últimos dias e pode tentar, em breve, desafiar a resistência dos 40 mil dólares, dizem especialistas.

“Estamos otimistas quanto à uma alta no curto prazo, contra a região de suporte triplo próximo a 30 mil dólares com forte divergência em termos de alta”, declarou a QCP Capital. “Além disso, o mercado possui pequena distância até o último topo – um rompimento acima de 35 ou 36 mil dólares poderia desencadear um rápido aumento para a faixa dos 40 a 42 mil dólares.

Ao menos por três tentativas os períodos de queda não foram capazes de se ancorar abaixo dos 30 mil dólares. Enquanto os preços fecharam abaixo disso no começo da semana, o salto da quarta feira, 21, para 32 mil dólares, anulou o colapso promovido pelo bear market, como é chamado o mercado em tendência de baixa.

A defesa persistente do marco de 30 mil dólares tomou formato de um padrão de suporte triplo no gráfico diário, que também mostra divergência em termos de alta no índice relativo de força (RSI). O padrão ocorre quando o indicador demonstra maiores baixas, contradizendo a fraqueza em preço, e é um sinal de exaustão dos vendedores e uma oportunidade para um salto no preço.

A média de movimentação (SMA) em 50 dias é de 34.500 dólares e pode oferecer resistência imediata. De acordo com Katie Stockton, fundadora e sócia de gestão do Fairlead Strategies, uma fuga da SMA de 50 dias impactaria a de 200 dias, que poderia mirar os 44 mil dólares.

Patrick Heusser, head de negociações na Crypto Finance, também pontuou que 35 mil dólares seria um nível crítico. “O ritmo de compra parece bom, mas muitas compras ultrapassadas estão chegando à área (de 35 mil dólares), o que ainda precisa ser liberado”, disse Heusser.

Finalmente, participantes do mercado que se posicionaram com calls – ou seguros contra movimentos de alta -  em valor igual ou maior que 35 mil dólares nas últimas semanas podem buscar cobertura, ou seja, comprar à vista ou futuros, se os preços aumentarem além dos 35 mil dólares. Isso deve reforçar o movimento de alta, provavelmente rendendo um teste de 40 a 42 mil dólares, como antecipou a QCP Capital.

Na quinta-feira, 22, o bitcoin estava sendo negociado a 31.800 dólares, representando uma queda de 1% nas 24 horas anteriores, de acordo com o CoinDesk 20. No final do dia, já estava em 32.400 e, nesta sexta-feira, opera acima de 32.550 dólares.

A criptomoeda subiu de 29.800 dólares para mais de 32 mil em 21 de julho. O dia se encerrou com o polêmico empresário Elon Musk dizendo que sua companhia aeroespacial, a Space X, detém bitcoin. Musk também afirmou que possui bitcoin, ether e dogecoin, e ainda adicionou que a Tesla pode voltar a aceitar o bitcoin como um meio de pagamento viável. Além disso, notícias sobre reaquecimento de outros mercados de risco e o investimento do tradicional banco BNY Mellon em uma corretora de criptoativos também ajudaram a reanimar o setor.

Texto traduzido e republicado com autorização da Coindesk

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também