Após golpe bilionário, "Rainha Cripto" entra para lista dos dez criminosos mais procurados pelo FBI

Ruja Ignatova comadava esquema com criptomoedas que atingiu milhões de investidores e movimentou mais de US$ 4 bilhões; ela foi vista pela última vez em 2017
FBI incluiu Ruja Ignatova, a "Rainha Cripto", em lista dos dez criminosos mais procurados pelo órgão no mundo (South_agency/Getty Images)
FBI incluiu Ruja Ignatova, a "Rainha Cripto", em lista dos dez criminosos mais procurados pelo órgão no mundo (South_agency/Getty Images)
D
Da Redação

Publicado em 01/07/2022 às 12:15.

Última atualização em 01/07/2022 às 12:41.

No Brasil, se tornou comum o uso de apelidos terminados em "do bitcoin" para se referir aos responsáveis por golpes e esquemas fraudulentos com criptomoedas, como o "Faraó dos Bitcoins", o "Rei dos Bitcoins" e outros que ficaram conhecidos nos noticiários policiais. Nos EUA, acontece algo parecido, e a Crypto Queen ("Rainha Cripto") ficou famosa no país após criar um golpe bilionário com ativos digitais em 2014. Recentemente, a história voltou à tona, com a divulgação de que o FBI acrescentou seu nome à lista dos dez criminosos mais procurados do mundo.

Ruja Ignatova, nome real da "Rainha Cripto", foi a criadora do OneCoin, uma suposta criptomoeda que mais tarde foi identificada como um esquema Ponzi. De acordo com a polícia, sua OneCoin Ltd. fraudou mais de 3 milhões de investidores em mais de US$ 4 bilhões desde 2014. Sua empresa também foi acusada de subornar os presidentes da Sérvia e da Bulgária, entre outros crimes.

Agora, Ignatova pode adicionar o título de “mais procurada” ao seu apelido, graças à uma decisão do Federal Bureau of Investigation (FBI) dos EUA, que a colocou em sua lista dos dez criminosos mais procurados do mundo na quinta-feira, 30. O órgão também anunciou que pretende pagar até US$ 100 mil por informações que levem à sua prisão.

Nascida na Bulgária, Ignatova cresceu na Alemanha e é Ph.D. em economia. Ela também estava entre os criminosos mais procurados da Europol, mas seu nome deixou essa lista recentemente, mesmo sem ainda ter sido encontrada. Segundo o FBI, Ignatova foi vista pela última vez em Atenas, capital da Grécia, em 2017.

No auge do esquema fraudulento, ela era frequentemente vista em eventos da alta sociedade europeia e americana, sempre muito bem vestida com roupas de marca de luxo e muita ostentação. Em 2016, ela chegou a atrair mais de 3 mil pessoas em um evento na Wembley Arena, em Londres — mesmo que, naquela época, as suspeitas sobre suas atividades já eram conhecidas.

Desde então, a OneCoin foi objeto de uma ação judicial coletiva, seu irmão e seus sócios foram levados ao tribunal e o mundo ficou conhecendo não apenas a "Rainha Cripto", mas o drama de algumas das suas milhares de vítimas.

Atualmente, rumores indicam que a atriz Kate Winslet estaria envolvida em um filme baseado nas experiências de um investidor da OneCoin. A revista americana Variety afirma que também foi feito recentemente um acordo para um documentário sobre Ruja Ignatova.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok