48% dos brasileiros não investem em criptoativos por pouco conhecimento

Levantamento feito pela Toluna mostrou que apenas 16% dos entrevistados se mostraram completamente familiarizados com os criptoativos
Entre os investidores, 40% manifestaram otimismo em relação à valorização de longo prazo das criptomoedas (TERADAT SANTIVIVUT/Getty Images)
Entre os investidores, 40% manifestaram otimismo em relação à valorização de longo prazo das criptomoedas (TERADAT SANTIVIVUT/Getty Images)
Por Cointelegraph BrasilPublicado em 20/05/2022 09:45 | Última atualização em 20/05/2022 13:20Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Apesar da popularização dos últimos anos, as criptomoedas ainda têm um potencial de crescimento enorme no Brasil, mas para isso elas precisam quebrar uma barreira: a falta de conhecimento da maioria dos brasileiros sobre o assunto. Pelo menos, foi o que revelou um levantamento recente feito pela plataforma de pesquisa do consumidor Toluna, conforme publicou o Valor.

De acordo com a Toluna, 48% dos entrevistados responderam que não investem em criptomoedas pela falta de conhecimento suficiente sobre estes tipos de ativo. Levantamento que ainda revelou que apenas 16% dos participantes da pesquisa se declararam completamente familiarizados com este assunto.

(Mynt/Divulgação)

Entre os investidores, 40% manifestaram otimismo em relação à valorização de longo prazo das criptomoedas, enquanto 36% alegaram que acreditam no potencial de retorno positivo de seus investimentos em curto prazo e 33% disseram que resolveram apostar nas criptomoedas apenas como forma de diversificar suas carteiras. 35% deles iniciaram seus investimentos por causa dos influenciadores e especialistas em finanças e 24% começaram a investir motivados por anúncios online.

Em relação aos que não investem em criptomoedas, 34% dos entrevistados afirmaram que se sentem inseguros e 32% disseram que consideram estes ativos muito arriscados. No que diz respeito ao total de participantes do levantamento, 15% dos entrevistados arbitraram um grau médio de risco para os investimentos em criptomoedas, o que representou um grau 5 de uma escala de 1 a 10.

No que diz respeito às plataformas mais utilizadas pelos brasileiros, 38% dos entrevistados disseram utilizar a Binance e 26% afirmaram que usam a Mercado Bitcoin.

As criptomoedas chegaram ao conhecimento de 31% dos entrevistados pela primeira em 2020 e de 29% deles em 2019, segundo o levantamento.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok