Exame IN
Acompanhe:

Verde, sobre novo governo: “Tem gente que atravessa a rua para escorregar na casca de banana”

Em carta divulgada nesta sexta-feira, fundo usa famosa frase de Azeredo Silveira para descrever cenário no Brasil

Verde: gestora de Stuhlberger ressalta oportunidade que Brasil está perdendo com ruído político (José Patricio/Agência Estado)

Verde: gestora de Stuhlberger ressalta oportunidade que Brasil está perdendo com ruído político (José Patricio/Agência Estado)

K
Karina Souza

6 de janeiro de 2023, 18h36

O cenário pós-eleições no Brasil segue caótico em um momento de aumento de oportunidades para o Brasil, na visão da Verde Asset. O ruído gerado pelo novo governo faz com que a gestora dê o tom do que está acontecendo no país com a famosa frase de Azeredo Silveira: “Tem gente que atravessa a rua para escorregar na casca de banana que está na outra calçada”. 

"O país tem uma situação fiscal e de endividamento que inspira cuidados e cautela, mas os arroubos de vários ministros solapam diariamente a confiança que o setor privado necessita para investir e ajudar o país a crescer. Tal fórmula já foi testada nos governos Dilma e sabidamente levou a um desastre. O ponto de partida hoje é substancialmente pior que em 2010, mas parece não haver reconhecimento disso.", afirma a carta.

O cenário se torna especialmente delicado diante da visão de que a reabertura da economia chinesa e a redução gradual da taxa de juros nos Estados Unidos fornecem uma oportunidade e tanto para países emergentes -- e que acabam sendo desperdiçadas, na visão da Verde, por causa dos ruídos gerado pelo novo governo. 

Aprofundando o olhar para o mercado local, as declarações recentes do governo eleito são vistas pela gestora como “absolutamente estapafúrdias” em vários temas, mas principalmente na economia. “Os arroubos de vários ministros solapam diariamente a confiança que o setor privado precisa para crescer”, diz a carta.

Nesse cenário de exageros e de confusão sobre o que efetivamente será feito dos rumos futuros da economia do país — um momento em que ainda há muita incerteza sobre o novo comando da Petrobras, do que será feito da política de preços da estatal, para lembrar os episódios mais recentes — a gestora tem mantido uma estratégia de “operar contra os exageros”. O que significa, na prática, aumentar risco em bolsa e Real nas últimas semanas e reduzir o risco quando o cenário global se torna mais forte. 

Ao longo do tempo, a Verde acredita que a relevância das declarações e dos interlocutores do novo governo deve ser calibrada. Por enquanto, num estágio natural das coisas, todos são ouvidos e todas as ideias são levadas em consideração, o que faz o mercado interpretar “ruído como sinal”.

Em relação à estratégia do fundo, a gestora manteve exposição na bolsa brasileira, bem como a vendida na bolsa americana via opções. A posição comprada em inflação implícita no Brasil, e pequena posição aplicada em juro real também foram mantidas, bem como o risco tomado em juros na Europa. A gestora continua comprada em ouro e petróleo, e vendida no Euro contra compra de Real. Posições em crédito tanto no mercado local quanto em high yield americano foram mantidas.