• AALR3 R$ 20,25 -0.25
  • AAPL34 R$ 67,97 0.91
  • ABCB4 R$ 16,62 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,10 -0.21
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,79 1.60
  • AGRO3 R$ 31,04 -0.23
  • ALPA4 R$ 21,35 2.50
  • ALSO3 R$ 19,04 0.16
  • ALUP11 R$ 27,08 -0.84
  • AMAR3 R$ 2,54 5.83
  • AMBP3 R$ 31,26 3.17
  • AMER3 R$ 22,06 -3.58
  • AMZO34 R$ 65,89 3.32
  • ANIM3 R$ 5,48 2.24
  • ARZZ3 R$ 79,76 -0.05
  • ASAI3 R$ 15,75 -0.94
  • AZUL4 R$ 20,19 -2.42
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,59 -0.56
  • AALR3 R$ 20,25 -0.25
  • AAPL34 R$ 67,97 0.91
  • ABCB4 R$ 16,62 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,10 -0.21
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,79 1.60
  • AGRO3 R$ 31,04 -0.23
  • ALPA4 R$ 21,35 2.50
  • ALSO3 R$ 19,04 0.16
  • ALUP11 R$ 27,08 -0.84
  • AMAR3 R$ 2,54 5.83
  • AMBP3 R$ 31,26 3.17
  • AMER3 R$ 22,06 -3.58
  • AMZO34 R$ 65,89 3.32
  • ANIM3 R$ 5,48 2.24
  • ARZZ3 R$ 79,76 -0.05
  • ASAI3 R$ 15,75 -0.94
  • AZUL4 R$ 20,19 -2.42
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,59 -0.56
Abra sua conta no BTG

Unico faz primeira aquisição após aporte de R$ 580 mi do SoftBank e GA

A empresa comprou 100% da operação da startup ViaNuvem, que facilita a venda remota de carros novos do Brasil
Guilherme Cervieri, vice-presidente de fusões e aquisições da Unico: a aquisição da ViaNuvem é só a primeira de muitas planejadas pela empresa (Divulgação/Unico)
Guilherme Cervieri, vice-presidente de fusões e aquisições da Unico: a aquisição da ViaNuvem é só a primeira de muitas planejadas pela empresa (Divulgação/Unico)
Por Carolina IngizzaPublicado em 31/05/2021 05:00 | Última atualização em 30/05/2021 23:02Tempo de Leitura: 4 min de leitura

A Unico acaba de começar sua temporada de fusões e aquisições. A empresa de tecnologia brasileira, fundada em 2007 e conhecida até o ano passado pela marca Acesso Digital, anuncia nesta segunda-feira, 31, a compra da startup ViaNuvem, especializada em ferramentas que permitem a concessionárias vender carros online. O valor da transação não foi divulgado pelas empresas.

Com mais de 400 clientes, entre eles bancos como Itaú, Santander e Bradesco, a Unico oferece serviços que vão desde assinatura digital de contratos de trabalho à validação da identidade de pacientes da telemedicina. A empresa faturou cerca de 150 milhões de reais em 2020 — o dobro de 2019 — e mais que triplicou de tamanho, saindo de 180 funcionários chegando a 550 em maio de 2021. 

A aquisição é a primeira que a companhia anuncia depois de ter recebido um aporte de R$ 580 milhões liderado pelos fundos SoftBank e General Atlantic em setembro do ano passado. Na época, o fundador e presidente Diego Martins havia sinalizado que poderia usar parte do capital recebido para financiar uma estratégia de aquisições.

Em entrevista ao EXAME IN, Guilherme Cervieri, vice-presidente de fusões e aquisições da Unico, confirmou que a aquisição da ViaNuvem é só o começo da estratégia. Hoje, sua equipe está analisando pelo menos 30 empresas e, nos próximos meses, deve anunciar pelo menos duas ou três novas transações.

Segundo o executivo, a Unico tem quatro principais objetivos com as aquisições: entrar em novos mercados ou em novas geografias, adquirir talentos especializados em tecnologia, trazer novos produtos para a plataforma ou capturar a base de clientes de um concorrente.

No caso da ViaNuvem, a compra de 100% da empresa marca a entrada da companhia no mercado automotivo. Fundada em 2017 pelos sócios Heitor Orletti e Fredy Evangelista, a startup domina 60% das transações de novos carros no país com sua ferramenta que permite que os clientes enviem digitalmente seus documentos.

No ano passado, com a pandemia impulsionando as compras remotas, a empresa ganhou 800 novos clientes. Hoje, 2.500 concessionárias do país usam seus serviços, movimentando R$ 20 bilhões em transações mensais.

Para que o negócio continuasse a crescer, os fundadores da ViaNuvem decidiram buscar uma fusão ou aquisição no final de 2020. Sem nunca ter captado investimentos externos, eles acharam que a melhor saída seria se unir a um grupo maior que atuasse no mesmo segmento. "Temos um produto nichado que para continuar a crescer precisaria de mais investimentos em tecnologia ou em expansão internacional. Com a aquisição da Unico, temos acesso a uma estrutura grande que nos ajuda a voar mais rápido", diz Evangelista.

Os fundadores e o time de 42 pessoas da ViaNuvem serão mantidos na operação, que passa a ser uma nova unidade de negócio da Unico. O plano da companhia é ir, aos poucos, expandindo o leque de clientes das startup para além das concessionárias de carros e oferecer serviços complementares. “Como já temos os documentos cadastrados, poderíamos oferecer junto com a compra a colocação de uma tag de pedágio, por exemplo”, afirma Cervieri.

A expectativa é que até o final do ano todas as integrações de pessoas, produtos e processos entre as duas empresas estejam completas. Por sorte, a Unico tem experiência em aquisições: essa é quarta empresa adquirida pela companhia desde sua fundação.

Em 2009, ainda sob a marca Acesso Digital, a empresa comprou a dotBR, desenvolvedora de software de gerenciamento de documentos e trabalho. Em 2017, a adquirida foi a Arkivus, de Londrina, que oferece uma solução biométrica para o varejo. A terceira aquisição foi a da startup gaúcha de análise de imagens Meerkat, que aconteceu em 2020, após um aporte de R$ 40 milhões da Igah Ventures.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

                              Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.