A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Crise de energia impacta preços de fertilizantes e carne na Europa

A CF Industries deve fechar duas fábricas no Reino Unido devido ao aumento de custos, enquanto a Yara reduzirá 40% da capacidade de produção de amônia

A crise energética na Europa também atinge os setores de fertilizantes e de carne, o que pode reduzir ainda mais a oferta de alimentos e elevar os preços já altos.

  • Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

Grandes produtoras de fertilizantes como Yara International e CF Industries disseram que os crescentes custos da energia levam à interrupção da produção de nutrientes essenciais para o cultivo. As paralisações também podem atingir outras partes da cadeia alimentar ao limitar a oferta de dióxido de carbono, usado como método de insensibilização de animais para abate e em embalagens que aumentam a validade de produtos alimentícios.

É mais um obstáculo para abatedouros, onde a escassez de mão de obra aumentou o número de suínos em fazendas, e coincide com preços dos alimentos perto dos maiores níveis em uma década. A Associação Britânica dos Processadores de Carne (BMPA) alertou que a oferta de CO2 pode acabar dentro de duas semanas, obrigando unidades de abate a fecharem justo quando produtores de suínos já enfrentam a perspectiva iminente de sacrificar animais.

“É bastante alarmante”, disse Nick Allen, presidente da associação, que já antecipava um forte impacto “a menos que em algum lugar do mundo - idealmente aqui na Europa - haja suprimentos disso que possam substituir essa quantidade de CO2 muito rapidamente”.

O dióxido de carbono - um derivado da produção de fertilizantes - também é usado na embalagem de produtos de carne e legumes. As carnes bovina e ovina seriam menos afetadas pela falta de CO2, mas podem perder cinco dias de validade devido a problemas de embalagem, disse a BMPA. Fabricantes de refrigerantes também monitoram a situação do CO2 e buscam fontes alternativas, disse a Associação Britânica de Refrigerantes.

Autoridades do governo do Reino Unido estão em negociações com o setor de carnes sobre a questão do CO2, de acordo com uma pessoa a par do assunto, que pediu para não ser identificada.

A paralisação da produção no setor de fertilizantes mostra o impacto dos altos preços da energia em indústrias intensivas em eletricidade no Reino Unido, disse o Grupo de Usuários de Energia Intensiva, que pediu medidas imediatas para manter a competitividade da indústria britânica.

Cortes em fertilizantes

No início da semana, a CF Industries disse que está fechando duas fábricas no Reino Unido devido aos altos custos da energia. Na sexta-feira, a Yara disse que na próxima semana reduzirá cerca de 40% da capacidade de produção de amônia na Europa, já que os preços recordes do gás afetam a produção.

A Yara comercializa cerca de 30% da amônia mundial, que é usada em fertilizantes, mas também nos setores automotivo, têxtil, de saúde e cosméticos. A empresa, que planeja cortar a produção em várias fábricas, produz amônia na Europa em unidades nos Países Baixos, Alemanha, Noruega, Itália, França, Reino Unido e Bélgica.

O podcast SuperAgro vai ao ar todas semanas com os principais desafios e oportunidades do agronegócio, com apresentação de Carla Aranha, repórter de macroeconomia da EXAME. Clique aqui para ver o canal e não deixe de acompanhar os próximos programas.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também