Volvo lança SUV XC40 híbrido via live em plena pandemia. É o momento?

Mercado automotivo registra queda histórica no Brasil, mas modelos premium resistem melhor à crise do coronavírus

O nome é bastante pomposo: XC40 T5 Plug-In Hybrid R-Design. Traduzindo, é o SUV de entrada da Volvo, que chega agora ao Brasil em sua versão híbrida, ou seja, com uma combinação de motor elétrico e a combustão. Será apresentado ao público brasileiro hoje, às 11 horas, via live, no canal do Youtube da marca. Os primeiros carros já começam a chegar às concessionárias.

O XC40 vem se somar a outros modelos da Volvo que já têm aqui sua versão elétrica – a saber, S60, S90, XC60 e XC90. A exceção é a perua V60. O modelo híbrido do XC40 roda até 47 quilômetros em modo totalmente elétrico. Faz de 0 a 100 quilômetros por hora em 7,3 segundos, desempenho de um esportivo, tem abertura e fechamento elétrico do porta-malas com hands-free e vem com carregador para smartphone por indução.

A segurança é um ponto forte – afinal, esse é mote da sueca Volvo. O assistente de piloto ajuda a manter uma distância pré-definida do veículo à frente e corrige a direção para manter o carro na faixa. O preço do carro é de 245.950 reais, cerca de 15.000 reais a mais do que havia sido anunciado em março, reflexo da alta do dólar.

É um belíssimo carro, que chega para confirmar a competição do modelo com BMW X1, Audi Q3 e Range Rover Evoque, mas com a vantagem agora da versão híbrida. Mas fica a pergunta: agora, no meio da pandemia do coronavírus, é o momento de lançamento de um carro?

Existem duas formas de olhar a questão. O segmento automotivo como um todo amarga perdas históricas. No mês de abril, foram emplacados apenas 1.800 carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, segundo a associação do segmento, a Anfavea. O mês de maio apontou certa recuperação, com 43.100 veículos produzidos. Na comparação com maio de 2019, a produção ainda mostra um tombo de 84,4%. E de abril a março, quando tiveram início as primeiras medidas de quarentena adotadas nos estados, a queda foi de 99%.

O segmento de carros de luxo, no entanto, tem resistido melhor à crise, principalmente os esportivos. No acumulado de janeiro a maio, os emplacamentos cresceram quase 20% no país, segundo a Fenabrave, com liderança expressiva da Porsche. Depois do lançamento da nova geração no ano passado no Brasil, o 911 tornou-se o modelo esportivo em 2020, emplacando mais do que o dobro do segundo lugar do ranking, o Ford Mustang. Nesse ranking, aparecem depois o Porsche Boxster e a BMW Z4.

Entre os SUVs premium, ponto para a Volvo. No acumulado de emplacamentos de janeiro a maio, a montadora sueca colocou dois de seus modelos na liderança do setor. O campeão, o SUV médio XC 60, teve 844 unidades vendidas em cinco meses, enquanto o segundo colocado, o XC40, registrou 823 emplacamentos. Ainda assim, a marca registrou uma queda de 29% nos primeiros cinco meses do ano em relação a 2019.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.