Anvisa proíbe três suplementos vitamínicos no Brasil

Fabricação e venda de três marcas foram proibidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária nesta quarta-feira

	Braço de homem musculoso: resoluções foram publicadas no Diário Oficial da União desta quarta-feira
 (Thinkstock)
Braço de homem musculoso: resoluções foram publicadas no Diário Oficial da União desta quarta-feira (Thinkstock)
Por Sandra ManfriniPublicado em 03/06/2015 10:25 | Última atualização em 03/06/2015 10:25Tempo de Leitura: 1 min de leitura

Brasília - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a fabricação e venda no Brasil de três marcas de suplementos vitamínicos, segundo resoluções publicadas no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 3.

O suplemento de cafeína para atletas, marca Green Coffee Beads, teve proibida a importação, distribuição e comercialização em território nacional, por comprovação de divulgação irregular das propriedades terapêuticas e medicamentosas do produto, não permitidas pela legislação, tais como: queima de gordura, ação termogênica e bloqueio de gordura.

Com relação ao suplemento vitamínico e mineral, marca No Xplode, a fabricação, distribuição e comercialização foram proibidas em razão de a composição do produto conter cálcio arginato e magnésio arginato, substâncias cuja segurança não estão comprovadas perante a Anvisa.

Foi ainda proibida a fabricação, distribuição e a comercialização do suplemento vitamínico e mineral, marca Monster Extreme Black, por apresentar em sua composição magnésio arginina quelato e cálcio arginina quelato, substâncias também sem a segurança comprovada perante a Anvisa.