Austrália revelará documentos do ator de ‘Crocodilo Dundee’

O Tribunal também ordenou Hogan, Cornell e Stewart, que negam as acusações de evasão tributária, a pagar os custos legais à Comissão Australiana de combate ao Crime

Sydney (Austrália) – O ator Paul Hogan, protagonista do filme ”Crocodilo Dundee”, não poderá manter em segredo uma série de documentos vinculados a uma suposta evasão fiscal de milhões de dólares, segundo uma decisão judicial emitida nesta segunda-feira pela justiça australiana.

Desta forma, o plenário do Tribunal Federal do país acabou ratificando hoje uma decisão judicial emitida no último mês de janeiro, a qual considerava que o sigilo profissional do ator não cobre estes tipos de arquivos, como Horgan chegou a argumentar em uma apelação ao lado seu colaborador John ”Strop” Cornell e de seu contador Anthony Stewart.

Segundo a agência local ”AAP”, estes papéis em disputa incluíam ordens sobre o pagamento dos direitos internacionais cinematográficos e televisivos correspondentes aos dois primeiros filmes da saga do ”Crocodilo Dundee”, assim como conselhos comerciais.

O Tribunal também ordenou Hogan, Cornell e Stewart, que negam as acusações de evasão tributária, a pagar os custos legais à Comissão Australiana de combate ao Crime, entidade governamental que suspendeu suas investigações em 2010.

No último mês de abril, Hogan conseguiu um acordo confidencial ”sem admissão” com o Escritório Australiano de Impostos para pôr fim a uma longa batalha legal relacionada à essa suposta evasão fiscal.

No entanto, este acordo não incluía Stewart e, por isso, a comissão australiana procura acessar os documentos confiscados e obtidos em sua casa e em empresas de contabilidade, acrescentou a fonte.

O fisco australiano acusa o ator de não ter declarado a renda obtida em 1986, o ano que protagonizou o primeiro filme da saga ”Crocodilo Dundee”, e lhe reivindicava cerca de US$ 150 milhões em impostos por falta de pagamentos, sanções e juros.

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.