Após caso de racismo, Evra cumprimenta Suárez

Atletas deixaram de lado rixa pessoal em nome do respeito às vítimas de tragédia ocorrida em 1989

São Paulo – Qual é o peso de uma ofensa racista? Para o negro Patrice Evra (à direita na foto), do Manchester United, o assunto deve ser tratado com seriedade, mas também não impede que haja uma ação inteligente. Para quem não se lembra, Evra acusou o uruguaio Luis Suárez (de costas), atacante do Liverpool, de tê-lo ofendido durante um jogo em outubro do ano passado.

No último domingo, no entanto, antes do apito inicial, os dois se cumprimentaram normalmente. Tudo por conta da tragédia que deixou 96 torcedores do Liverpool mortos no Estádio de Hillsborough, em 1989.

Antes do início da partida deste domingo (23), jogadores de United e Liverpool prestaram homenagem às vítimas da tragédia de 1989. Tudo porque no começo de setembro um relatório apontou que o incidente não foi ocasionado por mau comportamento dos torcedores presentes no estádio naquele dia. Mais de 20 anos depois, ficou provado que tudo aconteceu por más condições do estádio e negligência das autoridades.

“A coisa mais importante era o respeito. Houve uma grande tragédia. As pessoas estavam falando sobre um aperto de mãos, mas a história dos clubes é maior do que isso. Se eu não tivesse cumprimentado Suarez, não estaria respeitando essa história”, disse Evra.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.