Esporte
Acompanhe:

“Técnico-streamer”, Luis Enrique é ironizado nas redes sociais após eliminação da Espanha

Durante o Mundial, espanhol fez lives e soma mais de 800 mil seguidores em plataforma de mídia social

Nesta terça-feira, 6, a Espanha foi eliminada pelo Marrocos (Stu Forster/Getty Images)

Nesta terça-feira, 6, a Espanha foi eliminada pelo Marrocos (Stu Forster/Getty Images)

D
Da Redação

6 de dezembro de 2022, 18h59

Nesta terça-feira, 6, a Espanha foi eliminada pelo Marrocos, em decisão por pênaltis, e se despediu da Copa do Mundo na fase de oitavas de final. Após a eliminação, Luis Enrique foi ironizado nas redes sociais por conta das lives que gravou em seu canal na Twitch durante o torneio. Aos 52 anos, o treinador se arriscou como “streamer” e alcançou um número relevante de audiência e seguidores.

No início da Copa, o espanhol, com tom descontraído, ganhou o noticiário por conta das declarações irreverentes. Ainda na primeira fase, depois do empate com a Alemanha, por 1 a 1, Luis Enrique polemizou ao afirmar que não havia, naquele momento, equipe atuando melhor que a Espanha no Mundial.

O primeiro vídeo que fez, o mais visto até o momento, ultrapassou a marca de 1 milhão de visualizações, além de 200 mil telespectadores simultâneos. No perfil @luisenrique21, o técnico já soma quase 1 milhão de seguidores na Twitch. Agora, com a Espanha desclassificada, muitos usuários questionaram nas redes sociais, sarcasticamente, se ele irá continuar com as transmissões na plataforma.

Durante o Mundial, o espanhol não apareceu todos os dias na Twitch, embora tenha prometido na primeira live que fez. Quando a Fúria perdeu para o Japão, na terceira rodada da fase de grupos, a transmissão não aconteceu. Só depois de dois dias, no sábado, 3, Luis Enrique gravou a live e, inclusive, recebeu o apoio de grande parte dos seguidores.

Com as transmissões ao vivo, o técnico espanhol protagonizou algo inédito no futebol e chamou a atenção da imprensa. Porém, há outros exemplos no esporte de atletas que aproveitaram as plataformas digitais para interagir com os fãs e para gerar conteúdo. No último playoff da NBA, o ala-pivô Draymond Green, do Golden State Warriors, começou a gravar vídeos frequentes no YouTube, principalmente após os jogos de sua equipe, independentemente dos resultados.

O Warriors alcançou a final da liga e o camisa 23, que não fez bons jogos, passou a ser criticado e questionado pela possível falta de concentração, já que dedicava um período de seu descanso para gravar as análises. Inovador e também provocador, Green se denominou como a “nova mídia” e criticou os tradicionais jornalistas. Chegou a cravar que continuaria com seu podcast pontual mesmo em caso de perda do título, o que não ocorreu. Sua equipe superou o Boston Celtics na decisão.

No início da pré-temporada, Draymond agrediu o companheiro Jordan Poole em um treinamento, mas foi se pronunciar dias depois, e não em seu canal, mas, sim, na TNT, emissora na qual também presta serviços de comentarista.

Bruno Maia, CEO da Feel The Match e executivo de inovação no esporte, entende que, no caso do Luis Enrique, a repercussão alcançada através dos vídeos na Twitch está muito ligada à proposta da plataforma, que tem sido o principal canal para personalidades ligadas ao esporte nos últimos anos.

“Para os que têm facilidade de criar conteúdo ao vivo, a Twitch é um ótimo caminho. É uma plataforma que criou uma linha de influenciadores ou 'criadores', como são chamados, especializados em criar ao vivo. O primeiro ramo que ela atingiu foi dos gamers, já que as pessoas transmitiam suas performances nos jogos digitais que elas disputavam. Por isso, ela sempre se caracterizou por desenvolver uma série de interações. É uma rede social em que o foco são as transmissões ao vivo", completa Maia.

Na visão de Guilherme Figueiredo, CEO da NSports, hoje o streaming, desconhecido até poucos anos atrás, já é uma realidade consolidada, mas totalmente adaptável e em foco de crescimento. “Independente da idade, do país e do assunto, essas transmissões conseguem fazer uma conexão mais próxima com o público e, por isso, estão conquistando evento como a Copa do Mundo, o resultado das lives do Luis Enrique não poderia ser outro, cada vez mais espaço. Dito isto, ao juntar o esporte com essa ferramenta, em meio a um a não ser o sucesso".

Para Fernando Patara, cofundador e Head de Inovação do Arena Hub, principal centro de fomento à inovação em esporte, entretenimento e mídia da América Latina, a tendência é que as novas plataformas gerem cada vez mais conteúdo no esporte.

“Esta é a primeira vez, em uma Copa do Mundo, que um técnico de uma seleção faz lives e gera conteúdo nas redes sociais durante o torneio. Acredito que o Luis Enrique, com essa iniciativa, deve encorajar outras personalidades do futebol a fazerem o mesmo, até porque a repercussão está sendo muito positiva entre os espanhóis, que estão se sentindo mais próximos da seleção”, afirma Patara.

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.