Familiares de vítimas da Chapecoense vão à Bolívia para cobrar indenização

No próximo dia 28 de novembro vence o prazo para protocolar uma ação com o pedido de pagamento
 (Reuters/Paulo Whitaker)
(Reuters/Paulo Whitaker)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 04/10/2018 15:15 | Última atualização em 04/10/2018 15:15Tempo de Leitura: 2 min de leitura

La Paz - Familiares das vítimas do trágico acidente aéreo da Chapecoense (em 2016) desembarcaram na Bolívia nesta quinta-feira, 4, para cobrar o pagamento de uma indenização. Eles vão se reunir nos próximos dias com autoridades do país e ex-funcionários da LaMia, empresa aérea responsável pelo voo que matou 71 pessoas há quase dois anos.

De acordo com o advogado que encabeça a delegação que foi à Bolívia e representa os familiares das vítimas, Josmeyr Oliveira, "nenhum peso" da indenização foi pago até o momento. Ele está na cidade de Santa Cruz de la Sierra, ao leste de La Paz, onde operava a LaMia.

Josmeyr afirmou que vai se reunir com autoridades da Direção de Aeronáutica Civil da Bolívia, com a empresa Bisa Seguros e com ex-funcionários da LaMia para conseguir a indenização às famílias porque no próximo dia 28 de novembro vence o prazo para protocolar uma ação com o pedido pelo pagamento.

A LaMia tinha um contrato com a Bisa Seguros, que, por sua vez, afirmou no ano passado que o vínculo entre as partes havia vencido e, portanto, não tinha qualquer relação contratual direta com a Chapecoense. É este o impasse que Josmeyr e os familiares esperam resolver com a visita.

ACIDENTE

Na madrugada de 28 para 29 de novembro de 2016, a delegação da Chapecoense viajava para Medellín, na Colômbia, onde enfrentaria o Atlético Nacional pela final da Copa Sul-Americana, quando o avião caiu nas proximidades da cidade, matando 71 pessoas. Uma investigação da polícia colombiana concluiu que o acidente aconteceu por falta de combustível no voo da LaMia.