Esporte
Acompanhe:

Fórmula 1: dobradinha inédita da Mercedes no GP de São Paulo

Russell nunca havia vencido na categoria e Mercedes completou a dobradinha com Hamilton em segundo lugar

Hamilton parabeniza Russell, compatriota e companheiro de equipe, pela vitória em Interlargos (Beto Issa/Fórmula 1/Governo de SP/Flickr)

Hamilton parabeniza Russell, compatriota e companheiro de equipe, pela vitória em Interlargos (Beto Issa/Fórmula 1/Governo de SP/Flickr)

R
Rodrigo França

14 de novembro de 2022, 12h18

O GP São Paulo de Fórmula 1 foi palco da primeira vitória de George Russell na F1. O britânico ainda foi seguido pelo compatriota Lewis Hamilton e pelo espanhol Carlos Sainz, que também formaram o pódio no Autódromo de Interlagos neste domingo,13.

Essa foi a primeira dobradinha da Mercedes desde o GP da Emilia Romagna de 2020, realizado em Imola, provando que o resultado em Interlagos foi de fato uma zebra.

Os acidentes do começo da corrida

A prova teve diversas emoções desde a largada com vários toques e confusões, sendo o maior prejudicado o bicampeão mundial Max Verstappen da Red Bull, que fechou a corrida apenas na sexta colocação. O holandês tocou com Hamilton no S do Senna ainda na volta 7 e sofreu uma punição de cinco segundos.

Outro toque, este ainda na primeira volta, acabou tirando dois competidores da prova: Daniel Ricciardo (McLaren) acertou Kevin Magnussen (Haas), promovendo a primeira entrada do Safety Car. O dinamarquês foi o herói da sexta-feira por levar a equipe norte-americana para a pole position pela primeira vez em Interlagos, mas na corrida Sprint de sábado não conseguiu manter as primeiras posições.

Russell domina corrida praticamente de ponta a ponta

O vencedor Russell praticamente não teve sua vitória ameaçada, deixando a primeira colocação somente durante o primeiro pit-stop. Em contrapartida, Hamilton teve mais trabalho para negociar as ultrapassagens após perder posições no início da prova.

Com um ritmo que lembrou os tempos áureos das “flechas de prata”, a Mercedes dominou a parte final da prova, mesmo com a última entrada do safety car no trecho final da corrida.

O top-10 da corrida ainda teve Charles Leclerc (Ferrari) em quarto, Fernando Alonso (Alpine) em quinto, Sergio Pérez (Red Bull) em sétimo, Esteban Ocon (Alpine) em oitavo, Valtteri Bottas (Alfa Romeo) em nono e Lance Stroll (Aston Martin) em décimo.

O público presente no GP de São Paulo quebrou o recorde de Interlagos nas arquibancadas com 235 mil pessoas ao longo dos três dias de Grande Prêmio. Certamente quem esteve in loco aproveitou uma prova bastante divertida e cheia de alternativas para acompanhar.

“Foi uma emoção incrível, vou lembrar de São Paulo e Interlagos para sempre”, disse Russell. E o público brasileiro também não se esquecerá por um bom tempo desta vitória da Mercedes que, quem diria, era uma zebra até semana passada.