Esporte
Acompanhe:

CBF convidou Luis Enrique para treinar a seleção brasileira, diz jornal

Técnico espanhol esteve no comando da equipe de seu país na Copa do Mundo do Catar

Luis Enrique: técnico é a bomba que a CBF está preparando para revolucionar um time deprimido após o fracasso no Catar, afirma jornal espanhol Sport (Simon Bruty/Anychance/Getty Images)

Luis Enrique: técnico é a bomba que a CBF está preparando para revolucionar um time deprimido após o fracasso no Catar, afirma jornal espanhol Sport (Simon Bruty/Anychance/Getty Images)

A
Agência O Globo

13 de janeiro de 2023, 13h08

A inesperada derrota da seleção brasileira para a Croácia no Mundial do Catar 2022 sentenciou a saída de Tite como técnico da seleção brasileira e, desde então, centenas de nomes já se movimentaram para desembarcar como o novo treinador. Agora, segundo um conhecido veículo espanhol, o ex-diretor técnico da Espanha e do Barcelona, ​​Luis Enrique, seria um dos principais alvos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

"Luis Enrique é a bomba que a CBF está preparando para revolucionar um time deprimido após o fracasso no Catar 2022, onde, dirigido pelo agora xingado Tite, ficou de fora do Mundial nas quartas de final", revelou ontem o jornal espanhol Sport.

O ex-técnico do Celta de Vigo, Roma e Lionel Messi no Barcelona é hoje "o principal favorito a assumir na seleção do Brasil", diz a notícia. "Entre os assuntos urgentes a serem resolvidos pela CBF está o nome do novo técnico, que já terá seus primeiros compromissos na Fifa em março", acrescentou.

Depois de fracassar nas tentativas de convencer Pep Guardiola, técnico do Manchester City, e depois Carlo Ancelotti, treinador do Real Madrid, o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, tentou com o português José Mourinho - atualmente na Roma - e agora se direciona a Luís Henrique.

Dos espanhóis - admitem na CBF - valoriza-se a "coragem" de apostar em times com jovens, algo que o Brasil poderia fortalecer em prol de uma "boa ninhada" da seleção sub-20, diz o Sport.

Ao que tudo indica, "os pesos pesados" da seleção brasileira já se inclinaram para Fernando Diniz, atual técnico do Fluminense e a quem batizaram de "Guardiola brasileiro".

Trabalho na seleção espanhola

O ciclo de Luis Enrique na seleção da Espanha começou em setembro de 2018, substituindo Fernando Hierro, embora tenha sido interrompido por quase um ano devido à doença e à morte de sua filha. Os resultados mais marcantes da equipe durante sua gestão foram as semifinais da Euro 2020 (perdeu para a Itália) e o vice-campeonato da Liga das Nações da UEFA de 2021 (derrota por 2 a 1 para a França, no estádio San Siro, em Milão).

Além disso, a Espanha terminou em primeiro lugar em sua área nas eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar.Ele liderou 47 jogos como técnico, com 26 vitórias, 14 empates e 7 derrotas.

Seu contrato terminou após a Copa do Mundo, e foi anunciado por meio de um comunicado da federação espanhola no qual afirmava que a mudança de treinador visa "continuar o crescimento alcançado nos últimos anos graças ao trabalho realizado por Luis Enrique e seus colaboradores".

Além disso, disse que Luis Enrique "conseguiu dar um novo impulso à seleção nacional desde a sua chegada, em 2018, através de uma profunda renovação que consolidou uma mudança geracional na equipa e no futebol espanhol". "Ele optou por jovens talentos e semeou esperança no futuro da seleção espanhola", disse

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

LEIA TAMBÉM: