Schneider Electric anuncia metas de sustentabilidade até 2025

A Schneider Electric quer aumentar o teor de material sustentável em seus produtos para 50%, melhorar a eficiência energética, preservar a biodiversidade e mais
 (Divulgação/Schneider Electric)
(Divulgação/Schneider Electric)
Por Marina FilippePublicado em 16/05/2022 12:21 | Última atualização em 16/05/2022 12:21Tempo de Leitura: 5 min de leitura

A Schneider Electric, empresa de transformação digital, gestão de energia e automação, anuncia sua estratégia de gestão de recursos desde a compra da matéria prima utilizada na produção até o fim da vida útil dos bens. A ação faz parte do barômetro de sustentabilidade Schneider Sustainability Impact (SSI) e do Schneider Sustainability Essentials (SSE), ferramentas que utilizam para acompanhar seus desafios de sustentabilidade e melhorar cada um dos pilares identificados, como descarbonização e o descarte de resíduos.

Receba gratuitamente a newsletter da EXAME sobre ESG. Inscreva-se aqui:

Com 36 indicadores e metas de sustentabilidade que se complementam, nove são dedicados à melhoria da gestão de recursos. A organização estabeleceu as seguintes metas a cumprir até 2025:

  • Aumentar o teor de material sustentável em seus produtos para 50%.
  • Aumentar a receita por meio de seu programa Green Premium™ para 80%.

No quesito fabricação, a Schneider Electric tem cinco objetivos estabelecidos para o período:

  • Melhorar a eficiência energética em suas instalações e em plantas industriais em 15%.
  • Trocar 33% de sua frota de veículos corporativos para veículos elétricos
  • Implementar programas locais de conservação e restauração da biodiversidade em 100% de suas unidades.
  • Garantir que 200 de suas instalações tenham a certificação 'Waste-to-Resource' - ou seja, cenário em que o resíduo acaba se tornando “valioso”, pois trazem benefícios para diversas áreas dos negócios.
  • Adotar uma estratégia e um plano de ação de conservação de água para 100% dos escritórios ou fábricas em áreas com escassez hídrica

Nas áreas de distribuição e demanda com o usuário final, são duas metas principais:

  • Certificar que todas as embalagens primárias e secundárias não contenham plástico descartável e que usem papelão reciclado.
  • Evitar 420 mil toneladas de consumo de recursos primários por meio da recuperação de equipamentos em fim de uso

    Como resultado dessas iniciativas, no mercado francês, a Schneider Electric anunciou e implementou o "Circular Certified" em seus processos de fabricação. O certificado visa reconhecer as melhores práticas relacionadas à venda, distribuição e comercialização de produtos com parâmetros de economia circular. A empresa também foi reconhecida com o prêmio de Melhor Cadeia de Suprimentos Global Sustentável no Global Sustainable Supply Chain Summit 2021 (GSSC Summit).

    Produtos verdes

    O principal pilar da estratégia de circularidade da Schneider Electric é o EcoDesignWay™, um processo que é aplicado ao desenvolvimento de novos produtos. A metodologia permite fazer compensações de impacto ambiental ao longo do ciclo de vida dos produtos, o que possibilita coordenar esforços em toda a cadeia de valor.

    Além do EcoDesignWay™, o programa Green Premium™ oferece aos clientes da empresa produtos mais sustentáveis e transparência nos dados ambientais.

    Inicialmente, os esforços do programa concentraram-se no cumprimento das regulamentações ambientais mais rigorosas, depois na transparência dos dados (por meio de Perfis Ambientais de Produto – PEPs – e Instruções de Fim de Vida no site “Check a Product”).

    A Schneider também integrou novas propostas de valor de durabilidade, como o programa “take back” no Green Premium™. Como exemplo, os clientes que adquirirem uma fonte de alimentação ininterrupta (UPS) da APC, marca da companhia, têm acesso à reciclagem gratuita da bateria do produto quando ela chega ao fim de vida útil. Em 2021, este serviço coletou cerca de 14 mil toneladas de baterias em todo o mundo para reciclagem.

    Sustentabilidade no Brasil e América do Sul

    O Grupo avançou significativamente em suas plantas na América do Sul nos últimos cinco anos em relação à taxa de recuperação de resíduos, que cresceu de 92% para 96%. Sete subsidiárias da região possuem a certificação 'Waste to Resource', categorização estabelecida pela empresa com a qual busca recuperar pelo menos 99% dos resíduos gerados.

    De 2021 a 2022, por exemplo, a companhia alcançou uma redução de 20% na intensidade de geração de resíduos (g/h: grama de resíduo gerado dividido por horas trabalhadas) em todas as fábricas e centros de distribuição da América do Sul.

    Igualmente, nestas unidades, foi possível alcançar um aumento de 10% na eficiência energética apenas no primeiro trimestre deste ano. O ganho é resultado de distintas ações que se estão implementando há anos. O Centro de Distribuição Inteligente em Cajamar (SP), por exemplo, tornou-se um edifício “carbono zero” em 2020.

    O foco principal da unidade é promover o uso racional dos recursos naturais. Com isso, espera-se uma redução de pelo menos 30% no uso de recursos como água e energia.

    O local é alimentado por fontes de energia renovável, o que permite evitar a emissão de 130 toneladas de dióxido de carbono por ano nas operações. Globalmente, 82% da energia utilizada nas operações da companhia é proveniente de fontes renováveis. No Brasil, 100% das instalações da empresa contam com energia limpa.

    Já na fábrica de Eusébio, no Ceará, a reciclagem de resíduos do processo de soldagem produz novos insumos para o mesmo processo, gerando mais de R$ 100 mil de economia por ano. A unidade também conta com um programa de remanufatura de UPSs. No ano passado, ele evitou que mais de 3 mil destes produtos fossem descartados.

    Em Santiago, Chile, foi implementado um plano de reciclagem de roupas industriais ignífugas para a produção de mochilas e estojos. Ela também utiliza nylon reciclado de redes de pesca recuperadas no sul do país para produzir parte dos componentes de tomadas. Durante 2021, foram utilizadas 156 toneladas de plástico recuperado do mar.

    Leia também: