Parada LGBTI+: o que as empresas patrocinadoras fazem pela comunidade

Vivo, Amstel, Burger King e outras marcas estarão na Parada LGBTI+ com grupos de funcionários ou patrocínios. Saiba o que as companhias fazem para apoiar a causa fora do evento
 (Nacho Doce/Reuters)
(Nacho Doce/Reuters)
M
Marina FilippePublicado em 19/06/2022 às 08:00.

Neste domingo, 19, acontece a 26ª Parada LGBT de São Paulo, na Avenida Paulista. Além de atrações musicais confirmadas como Pabllo Vittar, Luísa Sonza, Liniker e mais, marcam presença também as empresas, seja com grupos de funcionários ou por meio de patrocínios e ações comerciais. Mas, o que fazem as empresas para a comunidade LGBTI+ como um todo, considerando que esta ainda sofre com estigmatização, preconceitos e violências no mercado de trabalho e fora dele? Veja abaixo.

Receba gratuitamente a newsletter da EXAME sobre ESG. Inscreva-se aqui

Accor

A Accor é novamente a rede hoteleira oficial da Parada do Orgulho LGBTI+ de São Paulo. O grupo também preparou uma série de ações neste mês, incluindo drink com propósito, no qual tem parte da renda destinada à Instituição Casarão Brasil, que acolhe pessoas trans; participação de eventos com entidades e mais ativações, como o lançamento do documentário "Vidas Migrantes", registro do projeto Direitos Humanos para Refugiados LGBTI e fruto de uma parceria entre a ONG Casarão Brasil e Consulado dos Países Baixos.

Internamente há 50 funcionários no Comitê LGBTI+ em cinco países da América Latina. A rede também faz parcerias com governo e ONGs para fomentar a empregabilidade LGBTI+ no segmento de hotelaria, treinamentos de reciclagem e reforço da política de Diversidade para gerentes e outras ações conjuntas com associações e entidades, fomentando negócios para o Turismo LGBTI+.

Amstel

"Com a oportunidade de sermos a cerveja oficial da Parada, vimos com bons olhos e muito carinho, uma vez que o evento e também a causa dialogam diretamente com nossos valores. Exemplo disso foram as Lives com grandes artistas como Pabllo Vittar, Pepita, Mateus Carrilho, entre outros, em 2020 e 2021, onde conseguimos junto com a APOGLBT, arrecadar doações para ONGs em parceria com a entidade", diz Anna Luisa Dafico, gerente de marketing da Amstel no Brasil.

Segundo ela, houve também ações como o Chute Certeiro, com debate sobre estereótipos de gênero e sexualidade dentro do futebol. "Como parte do projeto, selamos uma parceria com o Ligay e Joga Miga, duas organizações que incentivam a iniciação e participação de pessoas LGBTI+ e mulheres no esporte mais praticado no mundo", diz.

Neste ano, a marca também participou da Feira Diversa, no último dia 16, auxiliando pessoas trans na retificação de gênero e nome nos documentos.

Para os funcionários LGBTI+ a Amstel, marca do Grupo Heineken, trabalha com a sensbilização para oferecer um ambiente respeitoso e inclusivo. "Além disso, internamente já oferecemos apoio a funcionários transgênero com ajuda de custo para cirurgias quando necessário e também para a retificação de seus nomes. Garantimos o uso de nome social em crachá e sistemas, convênio médico e benefícios estendidos em caso de união estável, sem distinção", diz Dafico.

Avon

A Avon levará a cantora Ludmilla para a Av. Paulista. “Sentimos muito orgulho em estar presentes mais um ano na Parada LGBTI+, desta vez em parceria com o Burger King. Estamos trazendo a Ludmilla, Inês Brasil e mais um time de influenciadores para dar continuidade nas histórias e espaços para diálogos sobre inclusão, diversidade e representatividade para celebrar em junho e reforçar a importância de atuar com orgulho LGBTI+ o ano todo”, diz Viviane Pepe, diretora de comunicação da Avon Brasil. As marcas também participam juntas da Feira da Diversidade, que faz parte da programação das comemorações do orgulho LGBTI+.

A Avon é signatária do compromisso da ONU de combate à discriminação contra LGBTI+ no ambiente corporativo em todo o mundo. Internamente, conta com a Rede Pela Diversidade, formada por um grupo de funcionários, que atuam como ponto de apoio permanente para fortalecer a diversidade em todas as instâncias e garantir ambiente de pluralidade.

Já como parte do grupo Natura &Co, a Avon assumiu o Compromisso Com a Vida, que tem o objetivo de aumentar em 30% a inclusão de grupos sub-representados na sociedade até 2030, inclusive de pessoas LGBTI+.

Burger King

O Burger King convida as cantoras Lexa e Pepita para apresentar grandes hits e agitar toda a avenida Paulista. Além deste evento, a marca estará presente na Feira da Diversidade, que também faz parte da programação da semana da Diversidade. Na data, sete lojas Burger King na região da av. Paulista estarão tematizadas para celebrar o orgulho, com descontos exclusivos.

"O Burger King está na Parada LGBTI+ desde 2018 e não poderíamos deixar de participar novamente. Temos com muito orgulho o propósito de reforçar que todas as pessoas são bem-vindas no BK e em qualquer lugar”, diz Juliana Cury, diretora de marketing e inovações do Burger King Brasil.

Atualmente, o Burger King conta com cerca de 3.000 funcionários autodeclarados LGBTI+ que fazem parte do quadro de funcionários tanto dos restaurantes quanto do corporativo. A companhia se compromete ainda a garantir treinamento dos funcionários da companhia sobre equidade, inclusão e diversidade até 2023 e aumentar a representatividade de grupos diversos (Pretos, PCDs, LGBTI+ e 50+) no time corporativo até 2025.

Mercado Livre

Recentemente, em uma pesquisa interna realizada na empresa, aproximadamente 15% dos respondentes da pesquisa autodeclararam que se identificam como LGBTI+. Com isto, a empresa trabalha com iniciativas de valorização de respeito, além de auxílios específicos como para pessoas trans:

  • Auxílio financeiro para a cirurgia de redesignação de gênero, cobrindo até 70% do valor, com limite de até US$ 5 mil por procedimento em toda a América Latina. O benefício é elegível a todos os funcionários, com pelo menos um ano de empresa, independentemente da posição que ocupam;
  • Pagamento de 100% do valor do seguro fiança exigido para aluguel de imóvel residencial, tendo em vista que o preconceito é ainda uma barreira grande para as pessoas trans em vários aspectos, inclusive no momento de firmar um contrato de aluguel, quando ainda há muita desconfiança sobre a finalidade do imóvel;
  • Assessoria jurídica para alteração de nome e gênero em registros civis; e suporte psicológico com profissionais especializados;
  • 15 dias de licença por ano para procedimentos médicos.

"Para fora de casa, há cinco anos estamos juntos de uma das maiores Paradas LGBTI+ do mundo. Mesmo durante o contexto da pandemia, desenvolvemos ações e mensagens para ajudar as pessoas se sentissem confortáveis, seguras e livres para expressar seu orgulho, com a ação Parada no Feed", diz Thais Nicolau, diretora de branding do Mercado Livre na América Latina.

Neste ano, a marca tem ação ‘Mais uma voz’, em que convida novos artistas da comunidade queer a criarem músicas com Pabllo Vittar e compartilharem em suas redes. "Com esta ação, queremos que novas vozes ocupem mais espaços e se unam a grandes talentos da música brasileira que já vêm na busca de fortalecimento e representatividade da comunidade LGBTI+", diz Nicolau.

Vivo

Na Parada, a Vivo disponibiliza um filtro exclusivo no Instagram, além de campanha desenvolvida pela VMLY&R, que terá ações online e offline, mídia fora de casa e lojas selecionadas ambientadas com a temática.  Internamente, a empresa apoiará seus atuais e futuros funcionários trans na retificação de sua documentação pessoal.

O grupo interno de afinidade, Vivo Pride, também estará presente nas comunicações da companhia, com a participação de funcionários que representam o orgulho LGBTI+. A empresa ainda prepara um Censo para conhecer um pouco mais sobre os funcionários que se autodeclaram LGBTI+, reforçando uma cultura de segurança e de incentivo à auto expressão genuína. As ações fazem parte da Jornada Vivo Diversidade, que este mês tem a temática LGBTI+.

Desde 2018, a Vivo tem um programa de diversidade pautado nos pilares de Gênero, LGBTI+, Raça e Pessoas com Deficiência para assegurar uma cultura mais inclusiva e um ambiente mais diverso e representativo.

A Vivo é primeira do setor de telecomunicações a integrar o Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+ e a aderir aos Padrões de Conduta para Empresas – enfrentando a discriminação contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, pessoas trans e intersexo, parte do movimento Livres & Iguais, da ONU (2018). Também aderiu a movimentos como o #MarcasAliadas, além de parceria com organizações que apoiam a inclusão nas empresas: Transempregos e Fórum de Direitos LGBTI+.

Leia também