Movimento negro brasileiro une 241 entidades contra racismo climático

Na COP26, a Conferência das Partes, grupo lançou documento que pede por justiça climática e pelo fim do racismo ambiental
 (Coalizão Negra por Direitos/Divulgação)
(Coalizão Negra por Direitos/Divulgação)
M
Marina Filippe

Publicado em 05/11/2021 às 15:00.

Última atualização em 19/11/2021 às 19:11.

*De Glasgow, na Escócia

O movimento negro brasileiro lançou nesta sexta-feira, 5, na COP26, a carta "Para controle do aquecimento do planeta — desmatamento zero: titular as terras quilombolas é desmatamento zero”. O grupo tem participado ativamente da Conferência das Partes em Glasgow, na Escócia.

Nela, mais de 200 organizações defendem uma incidência direta contra o racismo ambiental, pela redução do aquecimento do planeta, desmatamento zero nas florestas Amazônia, cerrado, Mata Atlântica e caatinga brasileira e em defesa da titulação das terras e dos territórios quilombolas também como estratégias pelo desmatamento zero.

"O debate fundamental de racismo ambiental ainda não encontra ampla adesão, ou é negado, pelos movimentos ambientalistas no Brasil, assim como falta racializar as políticas públicas ambientais. Como resultado, temos a falta de segurança ambiental aos territórios urbanos e rurais de maioria populacional negra, impactada pela expropriação, poluição hídrica, atmosférica, pelos eventos climáticos extremos, pela morada em áreas de risco, pelo despejo de resíduos, pelo não acesso aos serviços de saneamento básico, impactados pelas enchentes, deslizamentos, doenças de veiculação hídrica, entre outros", diz trecho da carta.

As organizações estão em linha com o conceito de justica climática, bastante debatido na COP26. Quando os que mais sofrem com os impactos das mudanças climáticas, precisam ser plenamente contemplados com os trabalhos de mitigação, sendo a população negra e, especialmente quando periféria, central na questão.

“O debate fundamental de racismo ambiental ainda não encontra ampla adesão, ou é negado, pelos movimentos ambientalistas no Brasil, assim como falta racializar as políticas públicas ambientais”, diz o Movimento Negro Brasileiro em carta. 

(ESG/Exame)

EXAME na COP

A Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança Climática (UNFCCC) é um tratado internacional com o objetivo de estabilizar as concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera.

Uma das principais tarefas da COP é revisar as comunicações nacionais e os inventários de emissões apresentados por todos os países-membros e, com base nessas informações, avaliar os progressos feitos e as medidas a ser tomadas.

Para além disto, líderes empresariais, sociedade civil e mais, se unem para discutir suas participações no tema. Neste cenário, a EXAME atua como parceira oficial da Rede Brasil do Pacto Global, da Organização das Nações Unidas.

Leia a cobertura completa da EXAME sobre a COP26