ESG

Apoio:

logo_suvinil_500x252
Logo TIM__313x500
logo_unipar_500x313
logo_espro_500x313
logo_engie_500X252

Parceiro institucional:

logo_pacto-global_100x50

"Lollapalooza dos ambientalistas", Greentech reúne projetos verdes da AL

Evento promove a conexão entre startups de impacto e investidores entre os dias 30 e 4 de dezembro

Soluções sustentáveis: startups de nove países apresentarão seus negócios durante o Greentech América Latina 2020. (Foto/Thinkstock)

Soluções sustentáveis: startups de nove países apresentarão seus negócios durante o Greentech América Latina 2020. (Foto/Thinkstock)

Durante uma semana, a Green Innovation Group, empresa dinamarquesa focada em inovação sustentável, traz ao Brasil um festival que reúne especialistas para debater a agenda verde. O Greentech América Latina 2020 acontecerá entre os dias 30 de novembro e 4 de dezembro, totalmente online e terá participantes de 11 diferentes países.

Você conhece as três letras que podem turbinar seus investimentos? Conheça a cobertura de ESG da EXAME Research

É a segunda vez que o evento dinamarquês desembarca no Brasil. Nesta edição, o Greentech busca empresas e scale ups com soluções de tecnologia e de impacto ambiental. Vinte startups de nove países poderão apresentar seus projetos sustentáveis a investidores, ambientalistas e grandes empresas por meio de pitches ao longo da semana.

Os painéis, bem com as empresas selecionadas para o evento, irão apresentar soluções voltadas ao mercado de carbono, cidades sustentáveis, energias renováveis e alta tecnologia - como blockchain, internet das coisas (IoT) e inteligência artificial. As startups também devem propor a resolução de problemas para a região da América Latina e Europa.

Fomentar o ecossistema de sustentabilidade e escalar startups verdes por meio de um evento é uma oportunidade única para o Brasil, segundo Frederik Van Deurs, cofundador do Greentech. “Temos percebido que já existem muitas tecnologias verdes no mercado, mas precisamos trabalhar juntos a nível global a fim de ter impacto mundial, porque o potencial também é imenso. Por isso é tão atrativo fazer um evento como o qual iremos fazer no Brasil”, diz.

“O Brasil é também uma economia em ascensão, então teremos uma classe média que pode optar por incluir tecnologias verdes e adotar o estilo de vida sustentável nessa nova economia. Por isso, o país é um mercado muito atrativo para o lançamento de novas tecnologias”, diz Van Deurs.

A última edição do evento, realizado no Cubo, hub de empreendedorismo do Itaú, mobilizou mais de 200 empresas na processo de inscrição. Destas, doze foram selecionadas. “Em 2020, todas essas empresas estão crescendo, mesmo com o Covid. Algumas tiveram aumento de 130% na receita total”, diz Thiago Rocha, representante da Greentech no Brasil. Rocha também destaca que apenas no Brasil, a base de dados da Greentech possui cerca de 453 empresas de tecnologia verde mapeadas.

Acompanhe tudo sobre:Exame HojeMeio ambienteStartupsSustentabilidade

Mais de ESG

Oito em cada dez quilombolas vivem com saneamento básico precário ou sem acesso

Cetesb multa em R$ 18 milhões usina responsável pela morte de peixes em Piracicaba

Lobo-cinzento escapa do extermínio e agora sua proteção está sob ameaça

Maurício de Sousa e Unicef promovem leilão de 31 versões do Sansão criadas por estilistas

Mais na Exame