• BVSP 122.381,54 pts +0,4%
  • USD R$ 5,2297 +0,0055
  • EUR R$ 6,3548 +0,0125
  • ABEV3 R$ 16,85 +2,12%
  • BBAS3 R$ 30,35 +0,07%
  • BBDC4 R$ 24,44 -0,81%
  • BRFS3 R$ 21,27 -1,21%
  • BRKM3 R$ 51,75 +0,70%
  • BRML3 R$ 10,55 -1,12%
  • BTOW3 R$ 59,21 -0,90%
  • CSAN3 R$ 21,53 -1,51%
  • ELET3 R$ 39,38 +6,03%
  • EMBR3 R$ 16,49 -0,48%
  • Petróleo US$ 68,70 +0,62%
  • Ouro US$ 1.837,00 +0,02%
  • Prata US$ 27,71 +1,19%
  • Platina US$ 1.243,10 -0,73%

ICMBio: ex-presidente diz ter não ter pedido para sair de orgão ambiental

No WhatsApp, Homero Cerqueira relatou estar surpreso com decisão do ministro Ricardo Salles de demiti-lo; queimadas no Pantanal estão entre os motivos

O coronel Homero de Giorge Cerqueira disse ter sido "surpreendido" pela exonerado da presidência do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão federal responsável pela proteção de todas as florestas protegidas federais. A exoneração está publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 21 que ainda não traz o nome do substituto.

Cerqueira, que é ex-comandante da Polícia Militar Ambiental de São Paulo, estava à frente do órgão desde abril do ano passado, após ser chamado para comandar a autarquia pelo ministro do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Ricardo Salles. Sua nomeação fazia parte de um processo de militarização de postos de comando encampado por Salles.

A saída abrupta do cargo está atrelada a divergências ocorridas entre Cerqueira e Ricardo Salles, por causa dos incêndios que se alastram pela região do Pantanal. Nesta quinta-feira, 20, os dois se reuniram com outros servidores para conversarem sobre compensações ambientais. Após esse encontro, seguiram ambos em uma reunião. No fim da noite, Salles decidiu demiti-lo.

Na madrugada desta sexta-feira, Cerqueira enviou a contatos na rede social WhatsApp mensagens em que diz ter sido recebido o ato "com espanto e indignação". "Nunca pedi para ocupar este cargo aceitei ao convite como um desafio, não pedi para sair", escreveu.

Cerqueira assumiu o posto depois que o então presidente do órgão Adalberto Eberhard, entregou seu pedido de exoneração a Salles, após o ministro fazer acusações sobre a atuação de técnicos do órgão, durante uma reunião com produtores rurais do Rio Grande do Sul.

Coube a Homero Cerqueira fazer nomeações de mais militares para assumir comandos regionais do ICMBio, além de pessoal sem perfil técnico para o cargo. Em agosto do ano passado, mais de 350 servidores do instituto chegaram a divulgar uma carta de protesto. No documento, os funcionários públicos pediam o "fim à política de assédio e intimidação de servidores, envolvendo, entre outras estratégias, as remoções de cunho punitivo, o cerceamento à livre manifestação, além de críticas e insultos às instituições e servidores por parte do alto escalão do governo federal".

O ICMBio é o órgão responsável por gerir as unidades de conservação federais - são 334 unidades, que compreendem cerca de 9% do território terrestre e 24,4% do território marinho do Brasil. O órgão é responsável também por 14 centros de pesquisa e conservação de espécies.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.