• AALR3 R$ 20,21 -0.44
  • AAPL34 R$ 68,06 1.04
  • ABCB4 R$ 16,59 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.14
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,77 1.41
  • AGRO3 R$ 31,08 -0.10
  • ALPA4 R$ 21,47 3.07
  • ALSO3 R$ 19,04 0.16
  • ALUP11 R$ 27,09 -0.81
  • AMAR3 R$ 2,55 6.25
  • AMBP3 R$ 31,04 2.44
  • AMER3 R$ 22,09 -3.45
  • AMZO34 R$ 66,03 3.54
  • ANIM3 R$ 5,49 2.43
  • ARZZ3 R$ 79,85 0.06
  • ASAI3 R$ 15,72 -1.13
  • AZUL4 R$ 20,12 -2.75
  • B3SA3 R$ 11,92 -0.83
  • BBAS3 R$ 37,52 -0.74
  • AALR3 R$ 20,21 -0.44
  • AAPL34 R$ 68,06 1.04
  • ABCB4 R$ 16,59 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.14
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,77 1.41
  • AGRO3 R$ 31,08 -0.10
  • ALPA4 R$ 21,47 3.07
  • ALSO3 R$ 19,04 0.16
  • ALUP11 R$ 27,09 -0.81
  • AMAR3 R$ 2,55 6.25
  • AMBP3 R$ 31,04 2.44
  • AMER3 R$ 22,09 -3.45
  • AMZO34 R$ 66,03 3.54
  • ANIM3 R$ 5,49 2.43
  • ARZZ3 R$ 79,85 0.06
  • ASAI3 R$ 15,72 -1.13
  • AZUL4 R$ 20,12 -2.75
  • B3SA3 R$ 11,92 -0.83
  • BBAS3 R$ 37,52 -0.74
Abra sua conta no BTG

Iceberg do tamanho da cidade de São Paulo se desprende da Antártica; veja imagens

Um pedaço de 1.270 quilômetros quadrados se separou de uma plataforma de gelo perto de uma estação de pesquisa britânica na última semana
 (Divulgação/British Antarctic Survey (BAS))
(Divulgação/British Antarctic Survey (BAS))
Por Maria Clara DiasPublicado em 01/03/2021 14:44 | Última atualização em 01/03/2021 15:39Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Um iceberg do tamanho da cidade de São Paulo se separou da Antártica na última sexta-feira. A ruptura do pedaço de gelo de 1.270 quilômetros quadrados e 150 metros de espessura aconteceu perto de uma estação de pesquisa do British Antarctic Survey (BAS), base de estudos britânica no continente.

A separação ocorreu a pouco mais de 20 km de distância da estação de pesquisa Halley, em operação desde 2017. No comparativo mundial, o iceberg se aproxima do tamanho da cidade de São Paulo, que tem 1.521 quilômetros quadrados de extensão e também da cidade de Londres, com 1.572 quilômetros quadrados.

As primeiras grandes rachaduras surgiram há quase uma década e, desde então, cientistas esperavam o “parto” deste bloco de gelo. A preocupação de que um iceberg poderia se partir na região já havia reduzido as operações na plataforma nos últimos quatro anos. No momento da ruptura não havia pesquisadores na estação, e o descolamento do gelo foi monitorado com a ajuda de satélites e sistemas de GPS.

Segundo os pesquisadores, ainda não há como prever os impactos do degelo a longo prazo, bem como não há como relacionar o acontecido com as mudanças climáticas. No entanto, a ocorrência de novas separações está sendo cogitada pelo BAS nas próximas semanas. “O tempo dirá se esse parto fará com que mais pedaços se partam nos próximos dias e semanas’, disse Adrian Luckman, glaciologista britânico e professor de geologia na Swansea University, no País de Gales, ao jornal britânico The Guardian.

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.