Fundo de venture capital vegano aposta em onda sustentável no pós-pandemia

Investidores aproveitam a tendência de substituição da carne por alternativas ecologicamente corretas
A consciência sobre a sustentabilidade e as lacunas no sistema alimentar devem se tornaram muito evidentes, segundo sócio do fundo (Sawitree Pamee / EyeEm/Getty Images)
A consciência sobre a sustentabilidade e as lacunas no sistema alimentar devem se tornaram muito evidentes, segundo sócio do fundo (Sawitree Pamee / EyeEm/Getty Images)
Por Agnieszka de Sousa, da BloombergPublicado em 20/01/2021 17:37 | Última atualização em 23/09/2021 15:25Tempo de Leitura: 3 min de leitura

(Bloomberg) Investidores redobram apostas em um fundo de venture capital com foco vegano quando a pandemia de coronavírus destaca o estresse crescente na produção global de alimentos.

A Blue Horizon Ventures, empresa de venture capital de Zurique focada em tornar alimentos sustentáveis, lançou um fundo de 183 milhões de euros (222 milhões de dólares) que investirá em startups de proteínas alternativas a embalagens inteligentes. O fundo atraiu mais de 100 investidores e superou sua meta inicial de levantar 100 milhões de euros, segundo o sócio-gerente Michael Kleindl.

Não caia em furada. Saiba como investir bem e com as melhores recomendações do maior banco de investimentos da América Latina

“Devido à pandemia, a consciência sobre a sustentabilidade e as lacunas no sistema alimentar se tornaram muito evidentes”, disse Kleindl em entrevista. “A Covid-19 acelerou a transição do capital em direção a investimentos mais impactantes e sustentáveis.”

A mudança climática, o crescimento da população e, mais recentemente, a pandemia, estimularam a busca por fontes alternativas de alimentos. Esperando encontrar a próxima Beyond Meat -- cujo preço das ações quintuplicou desde a oferta pública inicial em 2019 --, os investidores aproveitam a tendência de substituição da carne por alternativas ecologicamente corretas ou implementadas para resolver problemas como desperdício de alimentos. Grande parte do investimento em alimentos do futuro está sendo administrado por empresas de venture capital.

Investidores de venture capital injetaram 18,1 bilhões de dólares nas chamadas foodtechs em 2020, em grande parte graças ao apelo de aplicativos de entrega de comida ou supermercados online, de acordo com a empresa de pesquisas PitchBook.

A Blue Horizon atraiu interesse de investidores institucionais e recebeu capital até de dois fundos de pensão, disse Kleindl, sem dar mais detalhes. Outros investidores incluem o Fundo Europeu de Investimento, as fabricantes de alimentos mexicanas Grupo Bimbo e Sigma Alimentos, Be8 Ventures Management e Givaudan.

A Blue Horizon Ventures, onde cerca de 90% da equipe é vegana ou vegetariana, até agora financiou startups como a produtora de carne à base de vegetais The Livekindly e a fabricante de carne cultivada em laboratório Mosa Meat. “Realmente tentamos tirar o animal da equação”, disse Kleindl. A empresa tem planos de lançar um segundo fundo no quarto trimestre, que será um pouco maior do que o primeiro, disse.