Ford investe US$ 1 bilhão na Alemanha para avançar na produção de carros elétricos

A montadora se comprometeu que até meados de 2026 100% da oferta de carros da Ford na Europa será eletrificada - híbrida ou totalmente elétrica - e totalmente elétrica para 2030
 (Paulo Whitaker/Reuters)
(Paulo Whitaker/Reuters)
Por AFPPublicado em 17/02/2021 12:11 | Última atualização em 17/02/2021 13:13Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A gigante automobilística americana Ford anunciou, nesta quarta-feira (17), um investimento de US$ 1 bilhão na Alemanha com o objetivo de que seus modelos vendidos na Europa passem a ser totalmente elétricos em 2030.

"A Ford se compromete a garantir que, em meados de 2026, 100% da oferta de carros europeu da Ford será eletrificada - híbrida ou totalmente elétrica - e totalmente elétrica para 2030", disse a fabricante de automóveis em um comunicado.

Também explicou que destinará US$ 1 bilhão (cerca de 830 milhões de euros) para "a modernização da fábrica de Colônia na Alemanha".

A empresa com sede em Dearborn, perto de Detroit (Estados Unidos), anunciou no início de fevereiro que dobraria seu investimento na eletrificação até superar os US$ 22 bilhões para 2025.

Sua rival, GM, planeja eliminar gradualmente até 2035 os carros de altas emissões, que continuam representando a grande maioria de sua produção.

Após uma etapa difícil, as operações da Ford na Europa foram drasticamente reestruturadas nos últimos dois anos, com o corte de 12.000 empregos e o fechamento de seis fábricas.

"O anúncio da transformação de nosso centro de Colonia é um dos mais significativos para a Ford em mais de uma geração", comentou Stuart Rowley, diretor da Ford Europa, citado no comunicado.

Os fabricantes de automóveis estão fazendo uma importante mudança para os veículos elétricos, respondendo ao aumento da demanda, à conscientização do público e dos clientes sobre a mudança climática e à pressão de algumas normas de emissões cada vez mais rígidas.

O grupo alemão Volkswagen planeja oferecer 70 modelos elétricos até 2030 e vender 26 milhões de unidades em dez anos para alcançar e superar a empresa pioneira Tesla, liderada por Elon Musk e favorita dos mercados financeiros.