Colombiana Ecopetrol atrai investidor após comprar elétrica

Ainda assim, os títulos da estatal tiveram o pior retorno entre seus pares nos países em desenvolvimento
 (Michael Nagle/Bloomberg/Getty Images)
(Michael Nagle/Bloomberg/Getty Images)
Por BloombergPublicado em 30/08/2021 16:31 | Última atualização em 30/08/2021 16:45Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Por Andrea Jaramillo e Ezra Fieser, da Bloomberg

A colombia Ecopetrol está seguindo a cartilha dos investidores ao reduzir dívidas, aumentar o lucro e planejar o futuro, encontrando maneiras de diversificar seus negócios para longe da exploração e do refino de petróleo.

Ainda assim, os títulos da estatal tiveram o pior retorno entre seus pares nos países em desenvolvimento. Títulos foram arrastados pela perda do grau de investimento da Colômbia e questionamento sobre como a empresa pagaria pela compra de 3,7 bilhões de dólares neste mês de uma participação majoritária no gigante da concessionária de energia elétrica Interconexion Electrica. As notas da Ecopetrol com vencimento em 2045 perderam mais de 9% neste ano, enquanto os pares retornaram, em média, 1,2%.

Oppenheimer e Lucror Analytics estão entre os investidores e analistas que acreditam que o pessimismo foi longe demais e que os títulos oferecem uma oportunidade atraente. Eles veem a aquisição da Interconexión Eléctrica (conhecida como ISA) como uma jogada inteligente que diversificará os fluxos de receita e ajudará a preparar a Ecopetrol para um futuro com menor demanda por combustíveis fósseis.

“Ter um negócio de transmissão de alta qualidade proporcionará à Ecopetrol uma fonte mais estável de fluxo de caixa”, avaliadisse Alejandro Di Bernardo, analista de crédito da Jupiter Asset Management, que tem cerca de 80 bilhões de dólares em ativos, incluindo títulos da Ecopetrol. Embora a aquisição tenha elevado o endividamento, “no geral, o impacto líquido para o crédito deve ser positivo”, acrescentou.

O analista acha que alguns dos títulos da empresa estão atraentes não apenas em comparação com a dívida soberana da Colômbia, mas também em relação aos papéis da Petrobras.

Para financiar a aquisição da ISA, sediada em Medellín, a Ecopetrol tomou um empréstimo sindicalizado a ser pago nos próximos dois anos. A companhia vinha trabalhando para reduzir a alavancagem e, no segundo trimestre, a razão entre a dívida líquida e o Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) voltou ao nível anterior à covid. Agora, a compra elevará o endividamento.

A alavancagem ajustada vai aumentar temporariamente para cerca de 2,3 vezes o lucro, mas deve recuar no próximo ano ou ano e meio, afirmaram os analistas da S&P Global Ratings Fabiola Ortiz e Luis Manuel Martinez em relatório divulgado neste mês. Em maio, a S&P baixou a classificação de risco da Ecopetrol para BB+, um nível abaixo do grau de investimento e em linha com a nota soberana.

A transação envolvendo a ISA é um “evento transformacional” para a Ecopetrol, escreveram Ortiz e Martinez. “Isso garante fluxo de receita resiliente e estável, que compensará em parte a volatilidade dos preços internacionais de petróleo e gás.”

A ISA, maior empresa de transmissão de energia da América Latina, tem milhares de quilômetros de linhas de alta tensão espalhadas pela região, é concessionária de rodovias na Colômbia e no Chile e opera uma pequena divisão de fibra ótica.

Fique por dentro das principais tendências das empresas ESG. Assine a EXAME.