ESG

BTG Pactual concede crédito verde para Usina Lins

A operação faz parte da estratégia de estruturação de finanças sustentáveis bilateral do banco e reforça o apoio à agenda ESG no Brasil

Por Da Redação
Publicado em 06/07/2022 09:00
Última atualização em 05/07/2022 14:48

Tempo de Leitura: 4 min de leitura

O BTG Pactual (do mesmo grupo controlador da EXAME), maior banco de investimentos da América Latina, concedeu crédito verde para a Usina Lins, empresa brasileira produtora de açúcar e etanol. A operação faz parte da estratégia do banco de atuar cada vez mais ativamente na estruturação de instrumentos de finanças sustentáveis em sua própria carteira de crédito.

O financiamento bilateral foi realizado através de um empréstimo verde, que tem uso dos recursos atrelado a benefícios ambientais e se soma a outras transações com engajamento semelhante com clientes do banco. A primeira iniciativa nesse sentido foi uma operação sustainability-linked fechada em 2021 com a Olfar Alimento e Energia, com metas atreladas a Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Receba gratuitamente a newsletter da EXAME sobre ESG. Inscreva-se aqui

A operação com a Usina Lins é uma Cédula de Produto Rural (CPR), título que representa a promessa de entrega futura de um produto agropecuário e funciona como facilitador na produção e comercialização. Os recursos devem ser destinados exclusivamente aos processos de produção de etanol, usado para financiar ou refinanciar a produção de bioenergia, enquadrando o empréstimo como verde.

"A operação com a Usina Lins é um marco importante para o BTG Pactual, ao estimular o engajamento dos nossos clientes e atrelar o uso dos recursos a benefícios ambientais, o que reforça o compromisso do BTG Pactual em continuar desenvolvendo a indústria de investimentos sustentáveis no Brasil. Através de instrumentos financeiros é possível estimular a sustentabilidade nas empresas, contribuindo para o amadurecimento desse mercado”, afirma Patrícia Genelhu, head da área de Investimentos Sustentáveis e Impacto do BTG Pactual.

O BTG tem forte histórico de apoio ao agronegócio com operações estruturadas de crédito, financiando as suas principais cadeias. Hoje, o setor representa cerca de 20% da carteira de crédito, com boas perspectivas de crescimento.

“Temos sólido relacionamento com algumas das principais empresas do setor e, além de ser um parceiro estratégico, queremos apoiá-los de diferentes formas para facilitar na adoção das práticas de ESG, que agregam ainda mais valor para os negócios”, explica Genelhu.

Nessa estruturação, o banco contou com o apoio da consultoria Resultante para dar o parecer independente para a obtenção do rótulo verde e validação dos benefícios ambientais.

Desde que a área de Investimentos Sustentáveis e de Impacto do BTG foi criada, em 2020, o BTG Pactual conduziu diversas captações sustentáveis e fechou o primeiro trimestre de 2022 com R$ 6,9 bilhões em linhas desse tipo, incluindo um private placement verde, um financiamento climático com a Sociedade Alemã de Investimentos e Desenvolvimento (DEG) e a Proparco, subsidiária da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), um green bond, acordos com a Corporação Financeira dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (DFC) e com a Japan International Cooperation Agency (JICA), agência do governo do Japão, e seu Programa de Captação Sustentável através de depósitos (CDBs e LFs), lançado em novembro de 2021. A carteira de crédito do banco elegível a finanças sustentáveis já soma R$ 10,2 bilhões.

A Usina Lins tem a sustentabilidade como um dos seus valores, e busca constantemente transformar esses valores em atitudes, conduzindo seu negócio buscando o equilíbrio econômico, social e ambiental.

A Responsabilidade Socioambiental da Usina Lins abrange desde o uso responsável do solo, passando pela reutilização de resíduos do processo produtivo e preservação dos recursos naturais existentes, até o apoio a projetos que contribuem para o desenvolvimento das pessoas e sociedade. Nossas ações estão alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas (ONU) e visam garantir a proteção do meio ambiente e do clima.

Atestando seu compromisso constante com a preservação do meio ambiente, em 2007, a empresa aderiu ao Protocolo Agroambiental Paulista e recebeu o certificado de Etanol Mais Verde. O certificado comprova o desenvolvimento de ações de estímulo à sustentabilidade da cadeia produtiva de etanol, açúcar e bioenergia, com boas práticas de produção, conservação de solo e água, eliminação do uso do fogo na colheita da cana e proteção e restauração das áreas ciliares, reuso e reciclagem de resíduos do processamento da cana, dentre outras. Em 2019, a Usina Lins obteve o Selo Energia Verde e em 2020 foi certificada no programa RENOVABIO.

Dentre os programas sociais e ambientais Da Usina Lins, destacamos o Programa SEMEAR que já realizou o plantio de mais de 850 mil de mudas de árvores em margens e nascentes de rios em fazendas que a empresa utiliza para plantio, incluindo áreas próprias, de fornecedores e de parceiros, com aproximadamente 520 hectares de área restaurada. Essas regiões são consideradas Áreas de Preservação Permanente (APPs) e são protegidas por lei.


Veja Também