Arcos Dorados: educação para além dos funcionários e mais sustentabilidade

A Arcos Dorados, franquia que opera a marca McDonald’s em 20 países da América Latina e do Caribe, lançou o oitavo Relatório de Impacto Social e Desenvolvimento Sustentável, com a evolução das práticas socioambientais
 (McDonald's/Divulgação)
(McDonald's/Divulgação)
M
Marina FilippePublicado em 16/06/2022 às 08:00.

A Arcos Dorados, franquia que opera a marca McDonald’s em 20 países da América Latina e do Caribe, lançou o oitavo Relatório de Impacto Social e Desenvolvimento Sustentável, com a evolução dos compromissos socioambientais.

Receba gratuitamente a newsletter da EXAME sobre ESG. Inscreva-se aqui

Entre os principais dados, destaca-se as quase 400 mil oportunidades de formação para os jovens, faixa etária especialmente afetada pelas consequências socioeconômicas da pandemia da Covid-19.

Como uma empresa geradora de primeiro emprego formal e com 60% dos funcionários entre 16 e 24 anos, a companhia promove projetos de empregabilidade, educação e capacitação por meio de parcerias com mais de 30 ONGs. A grande novidade de 2021 foi o lançamento da MCampus Comunidade, plataforma que garantiu acesso educacional gratuito e aberto a toda sociedade e já ultrapassa 40 mil inscritos, sendo mais de 8,4 mil apenas no Brasil.

Os cursos são independentes, sem ordem específica nem quantidade limite por pessoa e estão disponíveis em espanhol e português. Depois de sua realização, o aluno, que não precisa ser funcionário do McDonald's, recebe um certificado reconhecendo o treinamento recebido, que servirá para destacar as habilidades em futuras buscas de emprego.

Os temas disponíveis vão desde habilidades comportamentais a importantes conhecimentos para o varejo e outros mercados, como no caso de Finanças Pessoais, Empreendedorismo, Saúde & Bem-estar, Inteligência Emocional, Atendimento ao Cliente, Marketing Digital e Negociação e Influência. Por meio de uma parceria firmada com a Cisco, uma das empresas tecnológicas mais importantes do mundo, a plataforma também introduziu cursos voltados à Cibersegurança e Programação, importantes para a atuação na área de tecnologia.

Funcionários

A Arcos Dorados promove a educação contínua de seus funcionários com foco em temas de liderança, desempenho e cultura organizacional. Prova da importância dessas iniciativas é que, além do treinamento diário realizado em mais de 2.250 restaurantes em toda a região, a companhia já gerou mais de 1,6 milhões de oportunidades de formação profissional de 2018 até o final de 2021.

“Nosso compromisso é ser parte ativa da solução de algumas das maiores problemáticas dos jovens latino-americanos que ficaram acentuadas com a pandemia: o desemprego e a falta de oportunidades de educação. Diante desse cenário, não só promovemos a inclusão e a mobilidade social através de novos empregos formais, como também implementamos sólidos projetos de capacitação gratuita para que todos pudessem adquirir as ferramentas necessárias para expandir seu potencial.” afirma Gabriel Serber, Vice-Presidente de Compromisso Social e Desenvolvimento Sustentável da Arcos Dorados.

Abastecimento sustentável

No Brasil, 100% do café servido nas unidades McCafé são certificados pela Rainforest Alliance. Além disso, 90% das embalagens em toda a América Latina são feitas de papel cartonado e, no Brasil, 100% delas contam com a certificação FSC (Conselho de Administração Florestal) ou PEFC (Programa para o Endosso da Certificação Florestal), o que garante o manejo correto das florestas.

Já para promover a economia circular, a companhia recuperou mais de 1,7 milhões de litros de óleo de cozinha de seus restaurantes que, em sua grande maioria, foram transformados em biodiesel. A Arcos Dorados também assumiu o compromisso para 2030 de reduzir em 31% a pegada de carbono em toda sua cadeia de valor (incluindo fornecedores), o que permitiu que a empresa a emitir um bônus financeiro atrelado à sustentabilidade em toda a América Latina.

Tanto estes quanto outros números destacados contam, novamente, com a auditoria da consultoria Ernst & Young, que garante formalmente a legitimidade e precisão do conteúdo. O relatório também foi elaborado seguindo as melhores práticas internacionais da Global Reporting Initiative (GRI) e em conformidade com a Sustainability Accounting Standards Board (SASB).

Leia mais: