Luiz Inácio Lula da Silva: em busca do terceiro mandato

Ex-presidente tenta chegar ao terceiro mandato nas eleições deste ano
 (Getty Images/Photo by Diego Radames/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
(Getty Images/Photo by Diego Radames/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Por Da RedaçãoPublicado em 15/05/2022 08:00 | Última atualização em 26/05/2022 17:13Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Nome: Luiz Inácio Lula da Silva
Vice: Geraldo Alckmin (PSB)
Partido: PT
Idade: 76 anos
Data de nascimento: 27/10/1945
Ocupação: político e ex-metalúrgico
Grau de instrução: ensino fundamental completo
Estado civil: casado
Município de nascimento: Garanhuns (PE)

Resumo do pré-candidato

Presidente do Brasil entre 2003 e 2011, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tenta um terceiro mandato nas eleições de 2022. O ex-presidente lidera nas pesquisas de intenções de voto desde que teve a candidatura autorizada, em março de 2021, depois de decisões da operação Lava Jato contra ele serem anuladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A trajetória política de Lula começou em São Paulo, embora ele tenha nascido em Garanhuns, Pernambuco. O sétimo de oito filhos, Lula migrou quando criança com a família para terras paulistas. Foi criado sobretudo pela mãe, conhecida como dona Lindu. Lula teve profissões que foram de engraxate a auxiliar de escritório, e foi por mais de uma década torneiro mecânico em fábricas, quando se aproximou do movimento sindical. Filiou-se ao Sindicato de Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema em 1968. No sindicato, Lula ganhou notoriedade ao liderar grandes greves no fim dos anos 1970 e início dos anos 1980, durante a Ditadura Militar. Chegou a ser detido por 31 dias pela Ditadura por “incitação à desordem coletiva”, sendo absolvido no ano seguinte.

À frente do Sindicato, o então metalúrgico chegou à política, se filiando ao PT, que seria fundado por sindicalistas e intelectuais em 1980. Em 1984, Lula participou da campanha das Diretas Já ao lado de nomes como Fernando Henrique Cardoso (FHC), Tancredo Neves e Ulisses Guimarães. Se elegeu deputado federal e, depois, disputou a presidência pela primeira vez em 1989, contra Fernando Collor de Mello.

A partir daí, Lula perderia outras duas eleições para FHC, até ser eleito pela primeira vez à Presidência em 2002, derrotando José Serra (PSDB) com 61,3% dos votos. Antes de sua eleição, também ficou famosa a chamada “Carta ao povo brasileiro”, que sua candidatura divulgou para assegurar que um futuro governo respeitaria contratos nacionais e internacionais. Outro gesto de moderação à época foi a escolha do empresário mineiro José de Alencar (então do PL) como vice, parceria que se manteria durante os dois mandatos de Lula — e que o petista tenta repetir em 2022, ao indicar o ex-rival Geraldo Alckmin (PSB) como vice.

Seus anos de governo tiveram programas sociais como Bolsa Família, Minha Casa, Minha Vida e expansão do Ensino Superior a alunos de baixa renda. Na economia, sobretudo seu primeiro mandato foi marcado por política econômica vista por aliados como conservadora, tocadas inicialmente pelo banqueiro central Henrique Meirelles e o então ministro da Fazenda Antônio Palocci. O Brasil realizou pagamento da dívida externa brasileira com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e ampliação de reservas internacionais em dólar.

Seus mandatos também ocorreram em momento favorável das commodities no mercado internacional, além de aumento do consumo interno com os programas de distribuição de renda, aumento do salário mínimo e expansão do crédito. Em infraestrutura, foi lançado o Programa de Aceleração de Crescimento (PAC). O crescimento médio do PIB foi perto dos 4% ao ano, período conhecido como “Milagrinho” econômico.

Dentre as polêmicas e críticas ao governo, Lula é acusado de não ter se esforçado para fazer sucessores para além da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), por não ter atuado amplamente em reformas estruturais e pelos escândalos de corrupção durante seu governo, notadamente o Mensalão e o Petrolão, que envolveram o PT e partidos do Centrão, como o PP. Na operação Lava-Jato, Lula chegou a passar 580 dias preso, mas teve a condenação pelo ex-juiz Sergio Moro anulada pelo STF por incongruências no processo. A Organização das Nações Unidas reconheceu em abril que o processo contra Lula não teve julgamento “imparcial”. Os casos envolvendo o ex-presidente aguardam nova tramitação na Justiça.

Nas eleições de 2022, Lula, agora aos 76 anos, terá pela frente o desafio de bater o presidente Jair Bolsonaro (PL), ampliar sua base de apoio para além do eleitorado clássico do PT e conseguir votos entre a parcela da população que rejeita sua candidatura.

Saiba mais sobre Lula