Eduardo Leite: a aposta do PSDB na corrida eleitoral

Em entrevista à EXAME ao deixar o governo do Rio Grande do Sul, o gaúcho afirmou que seu grande desejo é ser presidente da República
 (Tiago Coelho/Bloomberg via Getty Images/Getty Images)
(Tiago Coelho/Bloomberg via Getty Images/Getty Images)
Por Da RedaçãoPublicado em 15/05/2022 08:00 | Última atualização em 26/05/2022 16:42Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Nome: Eduardo Figueiredo Cavalheiro Leite
Vice: indefinido
Partido: PSDB
Idade: 37 anos
Data de nascimento: 10/03/1985
Ocupação: bacharel em direito
Grau de instrução: superior completo
Estado civil: solteiro
Município de nascimento: Pelotas (RS)

Resumo do pré-candidato

A história de Eduardo Leite (PSDB), ex-governador do Rio Grande do Sul, corre em paralelo com o período da reabertura democrática do Brasil. Nasceu em março de 1985, poucos meses após a eleição de Tancredo Neves a presidente da República, o primeiro civil no cargo depois de 21 anos de ditadura militar.

Leite tomou posse como um dos mais jovens governadores, em 2018. No fim do ano passado, foi o assunto da vez ao falar abertamente sobre a sua sexualidade. A escolha do momento para dizer que era “um governador gay” teve um ponto importante: estava em campanha para disputar as prévias do PSDB, seu partido, para concorrer à presidência da República em 2022.

Em novembro, o governador de São Paulo, João Doria, venceu as prévias do PSDB para se lançar como candidato à presidência. Na disputa, o paulista teve 53,99% dos votos, contra 44,66% de Eduardo Leite. Arthur Virgílio teve 1,35%. Apesar da vitória, a candidatura só é carimbada após a convenção do partido, o que deve ocorrer em junho.

É com base nessa expectativa que o gaúcho, de 37 anos, percorre o Brasil para conseguir votos e mostrar que representa a nova política e que é uma voz da chamada terceira via, de oposição ao presidente Jair Bolsonaro e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa ao Palácio do Planalto.

Em março renunciou ao cargo de governador para estar “aberto a todas as possibilidades”, incluindo a reeleição, nas palavras dele. Leite chegou a flertar com o PSD, que se entusiasmou com a possibilidade de ter o nome dele na legenda, mas o governador decidiu ficar no PSDB.

Desde que se lançou como candidato das prévias do PSDB para disputar uma eleição presidencial, Leite tem falado do seu sonho em ser o ocupante do Palácio do Planalto em 2022. Em entrevista à EXAME, afirmou que seu grande desejo é ser presidente da República.

Saiba mais sobre Eduardo Leite