Aldo Rebelo

Aldo Rebelo foi deputado federal por duas décadas e ex-ministro
 (Antonio Cruz/Agência Brasil/Agência Brasil)
(Antonio Cruz/Agência Brasil/Agência Brasil)
Por Da RedaçãoPublicado em 15/05/2022 08:00 | Última atualização em 19/05/2022 17:11Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Nome: José Aldo Rebelo Figueiredo
Vice: não nomeado
Partido: PDT
Idade: 66 anos
Data de nascimento: 23/02/1956
Ocupação: jornalista e redator
Grau de instrução: superior completo
Estado civil: casado
Município de nascimento: Viçosa (AL)

Resumo do pré-candidato

Ex-ministro e figura carimbada na política brasileira há décadas, Aldo Rebelo acenava com uma possível candidatura independente à Presidência no ano passado. Na última janela partidária, em 2022, se filiou ao PDT (cujo candidato presidencial, até o momento, é Ciro Gomes), e deve agora disputar uma vaga no Congresso. Ele estava sem partido desde que deixara o Solidariedade, em 2019.

Rebelo nasceu em Alagoas, mas construiu carreira política em São Paulo, onde foi vereador na capital e depois deputado federal de 1991 a 2011. A maior parte de sua carreira se deu na esquerda, tendo sido filiado ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB) por quatro décadas, ainda durante a Ditadura Militar. No Congresso, foi presidente da Câmara entre 2005 e 2007, e tem entre seus principais projetos o Código Florestal.

Durante o governo Lula (PT), ocupou o cargo de Ministro-chefe da Secretaria de Coordenação Política e Assuntos Institucionais entre 2004 e 2005. Com Dilma Rousseff (PT), a partir de 2011, foi ministro do Esporte — estando no cargo durante a realização da Copa do Mundo de futebol em 2014 — e, depois, da Ciência, Tecnologia e Inovação e da Defesa. Rebelo deixou o governo em maio de 2016, pouco antes da oficialização do impeachment de Rousseff.

O ex-ministro deixaria o PCdoB em 2017, se filiando ao PSB e, por fim, ao Solidariedade. Nas eleições de 2018, também lançou uma pré-candidatura, mas a retirou em apoio do partido a Geraldo Alckmin (então no PSDB). Seu último cargo foi como Secretário da Casa Civil em São Paulo, que ocupou brevemente na gestão Márcio França (PSB). Em 2021, lançou um livro (“O Quinto Movimento — Propostas para uma Construção Inacabada”), com suas propostas e reflexões sobre os desafios brasileiros. Em entrevistas, chegou a dizer que não tem de fato a pretensão de se eleger presidente, mas gostaria de ingressar no debate de ideias.