Pesquisa eleitoral fevereiro: Lula lidera com 42%, contra 27% de Bolsonaro

Veja os principais destaques da pesquisa eleitoral EXAME/IDEIA que ouviu 1.500 pessoas entre os dias 18 e 22 de fevereiro
 (Arte/Exame)
(Arte/Exame)
D
Da Redação

Publicado em 18/05/2022 às 05:01.

Última atualização em 13/07/2022 às 12:11.

Confira os principais destaques da pesquisa eleitoral EXAME/IDEIA que ouviu 1.500 pessoas entre os dias 18 e 22 de fevereiro. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-05955/2022. A pesquisa EXAME/IDEIA é um projeto que une EXAME e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. Leia o relatório completo.

Lula lidera, com 42%

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera a corrida ao Palácio do Planalto, com  42% das intenções de voto, segundo a pesquisa EXAME/IDEIA de fevereiro. O presidente Jair Bolsonaro (PL) está em segundo lugar, com 27%, seguido de Sergio Moro (Podemos), com 10%, e Ciro Gomes (PDT), com 8%. Se comparada com a pesquisa de janeiro, Bolsonaro cresceu no limite da margem de erro - na época estava com 24% das intenções de voto no primeiro turno. 

Polarização entre Lula e Bolsonaro

A soma das intenções de voto espontâneo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do presidente Jair Bolsonaro (PL) somam 58%. Este fato nunca ocorreu antes na história democrática brasileira. A pergunta espontânea é aquela em que os entrevistados respondem sem ter os nomes dos candidatos apresentados previamente, ou seja, reflete aquilo que está na cabeça dos eleitores de forma mais imediata. A situação complica a força de uma possível terceira via. 

66% já definiram o voto

Entre os entrevistados, 66% dos brasileiros dizem que já definiram o seu voto. Desta parcela, mais da metade, 55%, dizem que farão a opção até agosto. Maurício Moura, fundador do IDEIA, explica que esta escolha de forma antecipada é resultado da polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL). Por serem nomes conhecidos da população, o eleitor se sente apto a tomar uma decisão.

Terceira via embolada

No começo de 2022, a sete meses do primeiro turno das eleições presidenciais, a terceira via não decolou nas pesquisas. Quando a questão é de forma espontânea, Sergio Moro (Podemos) aparece atrás de Lula e Bolsonaro, com 5% das intenções de voto. Somando todos os nomes citados pelos eleitores (nove no total), o número chega a 10%. Quando a pergunta é estimulada, ou seja, com os nomes apresentados previamente aos entrevistados, Moro tem 10%, seguido de Ciro Gomes (PDT), com 8%. Neste quesito estimulado, Lula e Bolsonaro somam 69% das intenções de voto.

Desaprovação de Bolsonaro em 50%

A desaprovação de Bolsonaro chegou a 50% em fevereiro, uma das mais altas da série histórica, desde que assumiu o cargo em janeiro de 2019, mas inferior em relação à pesquisa de janeiro, quando 55% de brasileiros não aprovavam a maneira como Bolsonaro governa. Vale ressaltar que os indicadores de Bolsonaro continuam piores, se comparados aos pares que tentaram reeleição, como a avaliação de governo, que melhorou um pouco, e a intenção de voto espontânea.

LEIA TAMBÉM SOBRE A PESQUISA DE FEVEREIRO