Venezuelanos lideram alta em procura por imóveis no exterior

Número de venezuelanos que procuraram imóveis de luxo no mundo todo cresceu 123% em 2012, maior aumento entre todas as nacionalidades

Londres - O número de venezuelanos que procuraram imóveis de luxo no mundo todo cresceu 123 por cento no ano passado, maior aumento entre todas as nacionalidades, num reflexo das incertezas políticas no país, segundo relatório da consultoria imobiliária Knight Frank.

Em segundo lugar nesse ranking ficou o Brasil, com um aumento de 81 por cento na procura por imóveis de luxo, segundo a consultoria, que elaborou a primeira versão dessa lista com base nos acessos ao seu site, que oferece imóveis de até 150 milhões de dólares.

A Knight Frank tem 1,2 milhão de visitas mensais a seu site. A parcela de tráfego vinda da América do Sul cresceu 178 por cento de 2011 para 2012, embora a região ainda represente menos de 10 por cento do total, segundo a imobiliária.

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, morreu na terça-feira, de câncer, após 14 anos de um governo que polarizou a região. Ele era adorado pelos venezuelanos pobres por causa da sua origem humilde, sua retórica popular e os programas sociais financiados pelo petróleo. Por outro lado, era odiado por adversários que o viam como um líder ditatorial que perseguia rivais e arruinou a economia, levando milhares de pessoas a deixarem o país.

"A estatística não é surpresa nenhuma", disse Diego Moya-Ocampos, analista de risco da política venezuelana na consultoria IHS Global-Insight, falando antes do anúncio da morte do presidente. "Os venezuelanos percebem que haverá mais do mesmo depois de Chávez, pois as pesquisas indicam que o vice-presidente Nicolás Maduro será o seu sucessor." "A outra razão é o que o país agora é o que tem mais homicídios na América do Sul, e o índice de sequestros é alto", disse ele, que citou Miami, República Dominicana e Madri como destinos populares para os venezuelanos mais abastados.


Liam Bailey, pesquisador da Knight Frank, disse que geralmente o aumento no tráfego do site prenuncia em três a seis meses um aumento efetivo nas vendas de imóveis.

"Os venezuelanos estão demonstrando forte interesse por Madri, e os brasileiros pelos EUA. Esperamos um aumento notável das vendas em 2013 a partir da América do Sul", disse ele.

A Forbes recentemente estimou que o Brasil ganha 19 novos milionários por dia desde 2007, e o número de brasileiros na sua lista de bilionários de 2013 cresceu mais de 25 por cento.

Preocupações com a inflação e com as moedas locais também têm estimulado as elites do Brasil e da Argentina a investirem em imóveis no exterior.

"Uma das maiores tendências nos últimos 12 meses tem sido o crescimento da riqueza latino-americana se transferindo para bens imobiliários globais", disse Bailey. "A riqueza brasileira leva um dinheiro significativo a ser investido em Miami e Nova York." Em uma das maiores transações imobiliárias registradas no ano passado em Londres, o bilionário brasileiro Moise Yacoub Safra pagou cerca de meio bilhão de libras (756 milhões de dólares) pelo prédio de escritórios Plantation Place, no bairro financeiro da capital britânica.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.