Vendas no varejo sobem 3,6% em janeiro, diz Mastercard

O levantamento mostra crescimento de 2,8% das vendas no Sudeste, onde está o maior mercado do país

São Paulo - As vendas do varejo brasileiro cresceram 3,6% no mês passado, se comparadas a janeiro de 2017, segundo indicador medido pela Mastercard Advisors, consultoria da Mastercard, com base nas transações fechadas com os cartões da empresa, somadas a estimativas das outras formas de pagamento, incluindo dinheiro e cheque.

O levantamento mostra crescimento de 2,8% das vendas no Sudeste, onde está o maior mercado do País. Na região Norte, com alta de 4,3%, o crescimento ficou acima da média em janeiro.

Segundo César Fukushima, economista-chefe da Mastercard Advisors no Brasil, o varejo vem apresentando perspectivas positivas desde julho de 2017, na esteira da queda na taxa de desemprego e da maior confiança do consumidor. O dado não considera as vendas feitas pelas concessionárias de carros e pelas lojas de material de construção.

Dos sete setores monitorados pela Mastercard, cinco tiveram desempenho acima do esperado no mês passado - entre eles, supermercados, farmácias e lojas de móveis. Lojas de vestuário e postos de combustível tiveram resultados aquém das expectativas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.