Vendas no varejo brasileiro surpreendem e sobem 1,2%

Ainda que o número mensal tenha sido positivo, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, as vendas despencaram 4,2%

Rio de Janeiro/ São Paulo - As vendas no varejo do Brasil surpreenderam em fevereiro e tiveram o melhor resultado mensal desde 2013 com bom desempenho de móveis e eletrodomésticos e de supermercados, apesar da recessão econômica e falta de confiança dos agentes econômicos.

As vendas varejistas registraram ganho de 1,2% em fevereiro, leitura mais alta desde o avanço de 3% em julho de 2013, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.

Ainda que o número mensal tenha sido positivo, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, as vendas despencaram 4,2%, pior resultado da série iniciada em 2001.

As expectativas em pesquisa da Reuters eram de queda de 0,20% na base mensal e de recuo de 5,90% sobre um ano antes.

A atividade que apresentou a maior alta nas vendas em fevereiro sobre o mês anterior foi Móveis e eletrodomésticos, de 5,0%. Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, setor com maior peso na estrutura do comércio varejista, mostrou avanço de 0,8% na mesma base de comparação.

O volume de vendas no varejo ampliado --que inclui veículos e material de construção-- teve alta mensal de 1,8%, com ganho de 3,8% em Veículos e motos, partes e peças e de 3,3% em Material de Construção.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também