Vendas do varejo caem 0,1% em agosto, afirma IBGE

Na comparação com agosto de 2021, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 1,6% em agosto de 2022
Varejo: vendas caíram 0,1% em agosto. (Andre Coelho / Correspondente/Getty Images)
Varejo: vendas caíram 0,1% em agosto. (Andre Coelho / Correspondente/Getty Images)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 07/10/2022 às 09:52.

Última atualização em 07/10/2022 às 13:42.

As vendas do comércio varejista caíram 0,1% em agosto ante julho na série com ajuste sazonal, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado mostrou recuo menor que a mediana (-0,3%) das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, cujo intervalo ia de uma queda de 1,6% a alta de 1,4%.

Na comparação com agosto de 2021, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 1,6% em agosto de 2022. Nesse confronto, as projeções iam de uma queda de 2,0% a alta de 2,9%, com mediana positiva de 0,4%.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 0,5% no ano, que tem como base de comparação o mesmo período do ano anterior. Em 12 meses, houve queda de 1,4%.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 0,6% em agosto ante julho, na série com ajuste sazonal. O resultado veio pior que a mediana (-0,2%) das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam de uma queda de 1,5% a um avanço de 2,2%.

Na comparação com agosto de 2021, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram queda de 0,7% em agosto de 2022. Nesse confronto, as projeções variavam de uma redução de 2,8% a expansão de 1,3%, com mediana negativa de 0,8%.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam queda de 0 8% no ano e redução de 2,0% em 12 meses.

Média móvel

O índice de média móvel trimestral das vendas do comércio varejista restrito teve queda de 0,8% em agosto, de acordo como o IBGE. No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o índice de média móvel trimestral das vendas registrou redução de 1,1% em agosto.

Revisões

O IBGE revisou o resultado das vendas no varejo em julho ante junho, de um recuo de 0,8% para uma queda de 0,5%. No varejo ampliado, a taxa de julho ante junho passou de redução de 0,7% para queda de 0,8%.

Atividades do varejo que cresceram

Cinco das oito atividades que integram o comércio varejista registraram crescimento nas vendas em agosto ante julho, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Comércio.

Os avanços foram registrados por Tecidos, vestuário e calçados (13,0%), Combustíveis e lubrificantes (3,6%), Livros, jornais, revistas e papelaria (2,1%), Móveis e eletrodomésticos (1,0%) e Hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0 2%).

Comparação com agosto de 2021

De acordo com o IBGE, cinco das oito atividades que integram o varejo registraram crescimento em agosto de 2022 ante agosto de 2021. Na média global, o comércio varejista teve um avanço de 1 6%.

Houve expansão em Combustíveis e lubrificantes (30,2%), Livros, jornais, revistas e papelaria (19,0%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (6,6%), Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (2,1%) e Hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1 4%).

Os três setores que recuaram foram Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-10,5%), Móveis e eletrodomésticos (-8,5%), e Tecidos, vestuário e calçados (-5,6%).

No varejo ampliado, que inclui os segmentos de veículos e material de construção, as vendas caíram 0,7% em agosto de 2022 ante agosto do ano anterior. O segmento de Veículos e motos, partes e peças caiu 4,1%, e Material de construção recuou 7,1%.

LEIA TAMBÉM: