Economia

Turismo fatura maior valor para setembro desde 2014, revela FecomercioSP

Ao todo, o faturamento do turismo brasileiro teve crescimento de 29,2% na comparação com igual mês de 2021

O maior faturamento foi contabilizado no transporte aéreo, com receita de R$ 6,066 bilhões (Leandro Fonseca/Exame)

O maior faturamento foi contabilizado no transporte aéreo, com receita de R$ 6,066 bilhões (Leandro Fonseca/Exame)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 22 de novembro de 2022 às 13h15.

O turismo brasileiro teve faturamento de R$ 18,1 bilhões em setembro, o maior valor para o mês desde 2014. Os números foram compilados pelo Conselho de Turismo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ao todo, o faturamento do turismo brasileiro teve crescimento de 29,2% na comparação com igual mês de 2021. No acumulado de 2022, o montante salta 32,5% e, na soma dos 12 meses encerrados em setembro, avança 29,6%.

Entre os setores do turismo, o maior faturamento foi contabilizado no transporte aéreo, com receita de R$ 6,066 bilhões - crescimento de 63,1% ante setembro de 2021, sustentado em parte pela alta de cerca de 40% do valor das passagens. Em seguida, aparecem os serviços de alojamento e alimentação, com faturamento de R$ 4,973 bilhões, equivalente a um aumento de 20 2% na comparação interanual.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Completam a lista os transportes terrestres, com faturamento de R$ 2,965 bilhões (alta de 20% na comparação interanual); atividades culturais, recreativas e esportivas, com ganho de R$ 1,265 bilhão (19,7%); transporte aquaviário, que faturou R$ 48 886 milhões (16,4%); e locação de meios de transporte, agência de turismo, operadoras e outros serviços de turismo, com R$ 2 752 bilhões (7,4%).

Em nota, a presidente do Conselho de Turismo da FecomercioSP, Mariana Aldrigui, afirma que os números devem continuar positivos entre outubro deste ano e fevereiro de 2023, devido à combinação de fatores como a Copa do Mundo, a alta temporada sem restrições à mobilidade e a procura por destinos brasileiros como alternativa às viagens ao exterior.

O levantamento da FecomercioSP é baseado nas informações da Pesquisa Anual de Serviços e da Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE, com um recorte para as atividades que têm relação total ou parcial com o turismo. Os números são atualizados mensalmente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

LEIA TAMBÉM:

Governo do Rio de Janeiro vai propor adoção de tax free para turistas estrangeiros

Green Rio 2022 terá domo de experimentos do Instituto Amazônia 4.0

Acompanhe tudo sobre:Comércioeconomia-brasileiraFecomércioTurismo

Mais de Economia

Novos dados aumentam confiança do Fed em desaceleração da inflação, diz Powell

Lula pede solução de contradições de europeus para acordo com Mercosul

Crescimento econômico da China desaponta e pressiona Xi Jinping

Prévia do PIB: IBC-Br sobe 0,25% em maio, após estabilidade em abril

Mais na Exame